Conselho de mãe

(Do Facebook de Rosiane Rodrigues ao falar sobre os problemas da intervenção no Rio, que castiga pobres e negros das favelas, com cerco e revista até nas mochilas das crianças. Ela protesta com razão. Ou alguém  acha que as crianças das zonas ricas da Zona Sul também serão revistadas pelos soldados?)

Anúncios

Sobre mariomarcos

Jornalista, natural de criciúma, fã incondicional de filmes, bons livros e esportes
Esse post foi publicado em Gente e marcado , , , , . Guardar link permanente.

89 respostas para Conselho de mãe

  1. Henrique disse:

    Porque antes da intervenção estava tudo em paz no Rio, né? Francamente… tudo pra defender uma agenda.

    • Pode nos detalhar os pontos dessa tal agenda oculta perversa, por gentileza, Henrique.

      • Henrique disse:

        Jorge, oculta e perversa fica por sua opinião. Mas é só ver os discursos dos senadores do PT Humberto Costa e Lindbergh Farias criticando a intervenção militar…

        Mas, veja só que surpresa! O Lindbergh pediu intervenção em 2004 no RJ!

        Tá igual torcer pra time de futebol mesmo, não tem racionalidade nenhuma. E depois os alienados são os patos amarelos com camisas da CBF…

      • Henrique criticar essa intervenção até o Olavo de Carvalho criticou. Que o PT não tem coerência para criticar um instrumento que ele próprio utilizou não é nenhuma surpresa. O que me surpreende é alguns agora acreditar que isso vá funcionar. E seguimos sem saber de que agenda obscura você se referia. Ou será que falou porque ouviu de orelhada e nem você mesmo sabe do que se trata?

      • Henrique disse:

        Eu não acredito que agora vá funcionar, mas acredito que algo deveria ser feito.

        Em relação à agenda ao qual me referi, não entrarei nesse debate. Só ver a parcialidade na defesa de pontos em comum aqui mesmo no blog.

      • O que você acha que deveria ser feito, Henrique?
        Não se intimide meu caro, aqui estamos dialogando e refletindo. Vamos lá, nos elenque os pontos da agenda que citaste, primeiro porque estou curioso e, em segundo porque vai ficar muito chato para você se ficar se esquivando de algo que levantaste pois vai dar a impressão de que não sabe do que falou.

      • Henrique disse:

        O que eu acho que deveria ser feito? Ditadura, fim da classe política atual e uma nova constituinte. Mas vão me chamar de opressor, então melhor não menciono isso.

        Jorge, não estou intimidado. Apenas tenho experiência o suficiente pra não ficar nessas discussões sem sentido na internet. Você é um cara inteligente, sabe do que estou falando e do maniqueísmo político brasileiro que estamos vivendo. Posso conviver com sua curiosidade e com “ficar muito chato pra mim”.

      • Fifaldino disse:

        Xiiii…. confessou que é chegado numa “ditadura”!!! Dá pra entender o porquê de não curtir um livre debate de ideias.

      • Henrique disse:

        Não disse? Hahahaha que continuemos com nosso teatro político da democracia então.

      • Henrique eu não sei exatamente se você está falando sério ou curtindo com a nossa cara, também não ficou explícito a que tipo de ditadura você se refere mas, ao contrário do que muitos imaginam, a violência urbana cresceu durante o regime militar brasileiro em comparação com o período precedente, tanto que o Comando Vermelho foi criado nessa época e o tráfico de drogas nos morros do Rio de Janeiro se fortaleceu nesse período.

        Não se trata de discussões intermináveis, sequer um artigo você indicou o que leva todos aqui a conclusão de que você apenas repetiu o que leu ou ouviu por aí, sem ter a mínima ideia do que está falando.

        Eu concordo que a democracia representativa moderna vive uma crise em escala global e a grande queixa é exatamente que os políticos não representam o povo, ou seja, a representação terceirizada é um engodo, porém, uma ditadura política só ia aprofundar ainda mais esse abismo. De minha parte creio que devemos buscar uma democracia participativa, aos moldes da existente na cidade espanhola de Marinaleda, onde o povo decide até a alocação dos recursos da cidade.

      • Henrique disse:

        Jorge, conforme mencionei, a intenção é uma nova constituinte, não acredito que a classe política atual vá entregar o osso sem ser à força. Mas estamos falando de preferências, certo? É o que eu preferiria que acontecesse, apesar de achar improvável. A palavra “ditadura” causa reações extremas em ambos os lados, vide o Fifaldino que ficou horrorizado com isso sem nem ao menos entender a qual tipo de ditadura eu me referia e ficou com ironias nos comentários abaixo.

        Na sua concepção, para eu falar sobre algo ou eu devo me embasar em algum artigo ou senão eu estou repetindo algo que li por aí? Minha opinião é baseada em observação empírica. Há um padrão nos temas defendidos em ambos os lados. Me desculpe se a palavra “agenda” te incomodou tanto.

        Mas concordamos com o fato de que a democracia atual está em crise. Interessante sua sugestão, no entanto, dar mais participação política a um povo ignorante? É o que falam de que os políticos são o reflexo do próprio povo…

      • A democracia atual está em crise pelo fato de que com a crise econômica não se pode mais esconder a quem os governos realmente representam: os grandes grupos econômicos. Sempre foi assim e era para ser assim, como deixaram claro John Locke, Benjamin Constant, Edmund Burke, James Madison, John Stuart Mill, entre outros pensadores e políticos que estiveram envolvidos na construção desse modelo político. A única forma de mudar isso é com ampla participação popular na política como tem demonstrado a cidade espanhola de Marinaleda que, não por acaso, é uma das poucas que não afundou com a crise que assolou o país europeu. Aos olhos de muitos os humildes trabalhadores de lá seriam ignorantes para decidir seus rumos sozinhos. O pleno emprego, a política pública de habitação, a renda que tem sido superior a de professores universitários espanhóis que estão sendo contratados por 300 euros, tudo isso gerou um bem-estar social que teve como uma das consequências a abolição da guarda municipal devido a inexistência de violência urbana.

        Na concepção de qualquer pessoa sensata quem levanta um assunto deve explicá-lo se questionado. Do contrário ficará a impressão de que não entende do que falou. É isso que me gera surpresa e não a mera citação de uma agenda que não se detalha (tipo quais as medidas que constam nessa tal agenda, etc). E te questionei pois para todo o lado se fala de agenda. Uns falam em iluminatis, outros de Nova Ordem Mundial, outros de gramscismo, outros de marxismo cultural, e por aí vai!

      • alessandro machado disse:

        Meu Deus, achei que ninguém em sã consciência pediria ditadura.
        Que tipo de asno pede por algo em que ele vai ter MENOS direitos e MENOS cidadania do que tem hoje.
        É o quanto pior melhor, freud explica…
        mas deveria ter vergonha de dizer um absurdo desses
        fico muito entristecido de ver esse tipo de desejo abjeto sendo debatido como normal.

      • Henrique disse:

        E pelo visto, o asno acima não tem o mínimo de interpretação de texto.

      • Henrique disse:

        Jorge, li um pouco sobre Marinaleda. Não me parece sensato achar que esse modelo se aplicaria aqui. População de 2670 hab e 25km2.

        Temos um país de dimensões continentais, uma população ignorante. Mas ok, é a sua preferência pelo regime num modelo mais comunista, certo? Ao contrário dos colegas acima, não vou ficar de deboche ou insultos a respeito. Mas não acredito nesse modelo.

      • Rafael disse:

        Sem dúvida, citar um vilarejo como modelo para um país continental não merece maiores considerações. No entanto, seria interessante ver esses coletivistas aplicarem suas teorias em alguma comunidade. Mas isso é difícil de acontecer, afinal, dá um trabalho…

      • Prezados Henrique e Rafael. A Paris do século XIX tinha uma população muito maior que o vilarejo espanhol e montou um modelo similar em 1871 que “não deu certo” pelo massacre perpetrado pelas tropas francesas. Hoje com as novas tecnologias da informação tal empreitada é ainda mais viável.

      • Rafael disse:

        Pois é, Jorge, não a primeira vez que você cita aqui a Comuna de Paris. Penso que a duração exígua dessa experiência — apenas dois meses — seja um dos principais motivos da mitologia que a cerca. Não houve tempo suficiente para ela demonstrar sua disfuncionalidade, ficando apenas nas intenções.
        No entanto, seria interessante ver os simpatizantes desses modelos montando comunidades baseadas nesses princípios. Seriam oportunidades para testarem na prática aquilo que defendem teoricamente, e tudo isso numa escala menor, onde os riscos também seriam limitados, restritos às suas próprias famílias.
        Boa sorte.

      • Mitologia era a explicação fantasiosa da realidade que foi superada pela Filosofia — e pensar que tem gente por aí achando o máximo ser chamado de “mito”. Não há nada de mítico na Comuna de Paris, as mudanças políticas e econômicas foram reais, concretas, assim como seus benefícios.

        É curiosa essa questão da extensão do território. Primeiro desdenharam de Marinaleda por ser um vilarejo. Agora desdenham da Comuna de Paris por ser uma cidade. Se eu citar os sovietes russos vão vir falar da Via Láctea. E assim vai! Esse tipo de argumento até se esquece de que quanto menor o território abrangido maiores as dificuldades de construção econômica devido as limitações locais, principalmente de recursos. Os riscos são maiores e não menores devido a prórpia limitação territorial. Se fosse assim outros vilarejos espanhóis não estariam quebrados. E a perspectiva do próprio povo de Marinaleda antes das mudanças econômicas e políticas era abandonar a cidade. Hoje, acolhem estrangeiros.

    • Campeão FIFA disse:

      Tchê, tu não acredita em papai Noel mas acredita que medidas como essa são para combater a criminalidade.

    • Rafael disse:

      Isso só demonstra a existência de narrativas pré-fabricadas, tão falsas como essa “pesquisadora” que se faz passar por mãe favelada.

  2. Fifaldino disse:

    Enquanto isso, em bairros mais nobres, os amigos do poder sonegam impostos, traficam e mandam matar sem que ninguém os incomode.

  3. Maurício disse:

    Tem que reprimir mesmo esses favelados, senão daqui a pouco estão traficando pó em helicópt… OH WAIT!

    • Fifaldino disse:

      Ehehe….

    • Ricardo - DF disse:

      Kkkkkkk.
      O pior é essa turminha direitosa aí que está sempre caçando as incongruências da esquerda, mas ficam quietinhas em casos escandalosos como esse do helicoca.

      Até o FBI veio até Minas, mas não disseram um pio, e a coisa morreu por ali.

      Depois, o Moro é homenageado em NY (por serviços prestados, certamente), e ninguém acha estranho…

  4. Marcão disse:

    Tentando ver um lado bom nisso tudo…
    Se, pelo menos, servir pra piazada deixar de se vestir que nem bagaceira, usar boné de aba reta, capuz, camisa do flamengo, fazer algazarra na rua, aprenderem a chamar os outros de senhor, já é alguma coisa!
    Kkkkkkkkkkkkkkkkkkk!
    Aiaiai… Rindo pra não chorar…

  5. INTERminavel COLORADO disse:

    Fifaldino disse: fevereiro 22, 2018 às 2:13 pm

    “O brasileiro médio é um caso a ser estudado. De preferência por psiquiatras.”

    INTERVENÇÃO PSIQUIÁTRICA JÁ!

  6. Ricardo - DF disse:

    O mais inacreditável é o Temer sonhando em se candidatar… Aí precisaria de uma intervenção psiquiátrica massiva !!! Tá gozando….

    • Fifaldino disse:

      Bah!! Essa é a pior de todas as loucuras. Será que esse morcego realmente acha que pode se reeleger????

    • Jonas Vieira disse:

      Se os milhões que votaram nele na última eleição repetirem o voto ele se elege sim.

      • Fifaldino disse:

        Só sendo muito “analfabeto político” pra acreditar que ele foi elemento base para a votação da chapa. Aposto que até tu sabe que ele sempre foi ruim de voto….. acertei???

      • INTERminavel COLORADO disse:

        Se os milhões de patos paneleiros não tivessem saído às ruas, o vampiro não estaria onde está…Além do mais, vamos falar sério. Vice NUNCA foi nada em tempo algum, em lugar algum. Nem no futebol é alguma coisa…

        Temer é traíra e TODOS os patos paneleiros SABIAM disso quando foram às ruas. A questão era e ainda é – por favor, corrijam-me se estou errado – o PT, Lula, Dilma, comunismo, socialismo, bolivarianismo, pão com mortadela e o escambau. Se os paneleiros fossem sérios e realmente quisessem combater a corrupção, como espraiavam aos 4 cantos do mundo, deveriam ter exigido a saída de Temer junto com Dilma. Ah, mas…Estão aí comemorando, felizes da vida, os 15 aumentos de combustíveis, gás, luz, água, intervenção militar, etc e tal. Vão catar coquinho!

      • Jonas Vieira disse:

        Os caras votaram na chapa Dilma/Temer mas não têm nada a ver com o Temer no poder.

      • O Cara disse:

        Deverias ser agradecido então. Afinal, se percebe o quanto tu tá felizão com o governo dele.

      • Jonas Vieira disse:

        Eu não votei no Temer. “Felizão” deve estar quem o elegeu.

      • Fifaldino disse:

        Viu só? Tu nem teve o trabalho de votar no teu ídolo Temer e mesmo assim ele tá fazendo justamente o que tu sempre sonho para o Brasil. Tu é muito sortudo, hein!!

      • Marcão disse:

        Eu não votei na Dilma. Um dos principais motivos pra não ter votado nela era saber quem era o vice da chapa (sim, eu já imaginava que ela não chegaria ao fim do segundo mandato). Preferi anular meu voto no segundo turno, pra não ter que votar e Temer ou Aécio.
        E tenho a consciência mais tranquila ainda por não ter me prestado a sair na rua fantasiado de pato da CBF pedindo impeachment da Dilma sem pedir o do Temer junto.

      • A maioria das pessoas que votaram em Dilma, assim como a maioria que foi nos atos em defesa do seu impeachment, não queriam medidas de ajustes fiscais, nem privatizações e tampouco contra-reformas como a trabalhista e a da previdência. Por isso não vejo sentido nessa briga insana das bases ludibriadas pelas direções petistas e antipetistas que são responsáveis pela posição que Temer ocupa atualmente. Os primeiros por terem realizado aliança com o PMDB e os segundos por terem pregado que era suficiente tirar a Dilma. O PT é pai biológico do “Temer lá” e a maioria da direita brasileira tem sido o seu padrasto. Só não embalou essa criança quem teve independência política e soube não sucumbir a falsa polarização que tentam nos impor no país.

      • Jonas Vieira disse:

        Na cabeça dos esquerdopatas, ser contra a corrupção petista torna a pessoa fã de Temer. E o representante da fauna ali já pensa que sabe até o que os outros sonham. Já tenho motivos pra rir durante todo final de semana, ahahahahhah

      • Marcão disse:

        E na cabeça dos direitopatos, ser contra qualquer outra corrupção além da petista torna a pessoa fã do Lula…

      • Jonas Vieira disse:

        Jorge Nogueira, todos têm o direito de votar em quem quiser – ou não votar em ninguém. Agora, essa turminha que elegeu duas vezes a chapa Dilma/Temer querer tirar o corpo fora e dizer que não tem nada a ver com o atual momento? Beira a canalhice…

      • Jonas Vieira disse:

        Marcão, não se a pessoa é contra toda e qualquer corrupção, sem tentar defender bandidos com condenação definitiva (segunda instância) no lombo.

      • Rafael disse:

        Mal sabem eles que PT e MDB já estão novamente irmanados.Terão que alterar pela enésima vez a narrativa.

      • Jonas Vieira disse:

        Será que vão inventar o que dessa vez? Vai ser engraçado…

      • Rafael disse:

        Para quem vive e se alimenta das próprias mentiras, não deve ser difícil. Mas há cada vez menos gente disposta a acreditar.

      • Maurício disse:

        Rafael disse:
        fevereiro 23, 2018 às 12:28 pm
        Mal sabem eles que PT e MDB já estão novamente irmanados.Terão que alterar pela enésima vez a narrativa.

        Como assim, ‘mal sabem eles’? Desde que uma manchete com algo como ‘PT e PMDB já discutem coligação em quatro estados’ saiu em um jornal [3 chances pra adivinharem qual…] todo usuário de facebook, por mais néscio que seja, já deve tê-la visto algumas vezes há semanas!

        Aliás, esse papinho infantil das coligações também já cansou. Na falta de coisa melhor, cobram do PT coisa que partido algum fez (nem prometeu e nem conseguiria fazer, no nosso sistema político), que é governar sem alianças.
        Na boca dos outros partidos tudo é política, na do PT tudo é conchavo, no sentido mais pejorativo da palavra. Aí quem reclama isonomia no tratamento dos partidos é petralha.

      • Rafael disse:

        Diz que sabe mas não dá importância. Como eu disse, mal sabe.

      • Maurício disse:

        Tu deve mesmo saber a que eu dou importância.
        Papinho furado, engessado e ultrapassado.

      • Jonas Vieira, de minha parte esse jogo de empurra só serve para alimentar uma falsa polarização entre forças políticas que no essencial se assemelham. Uns fizeram aliança com Temer para supostamente garantir a tal da governabilidade, outros diziam que primeiro iam tirar a Dilma e depois o resto. Terminaram blindando Temer e apoiando suas medidas. Estou falando aqui de dirigentes políticos, que são os que convocam atos e escolhem os candidatos. Estou falando aqui do PT, do MBL, do Vem Pra Rua, do Bolsonaro, etc. Enquanto a galera briga aqui embaixo eles se afagam e se acertam lá em cima.

  7. E o nosso conterrâneo, Onyx Lorenzoni, que admitiu ter recebido caixa 2 da JBS mas segue solto, será um dos coordenadores do programa de governo de um autointitulado “mito” que se dizia contra corruptos.

    • Fifaldino disse:

      Ah, pois é……

    • edi tavares disse:

      Onyx Lorenzoni… deve ter sido eleito pelos nordestinos que não sabem votar, os mesmo que votaram no Jardel.

    • almiro disse:

      Ô Marcão, se tu sabia q ela não ia terminar o mandato, dá os números da mega-sena aí.

      • Marcão disse:

        Eu já achava que ela não terminaria o primeiro… Não é adivinhação, era só ver como ela era odiada em todos os meios políticos. Estava rodeada de cobras, era só questão de deixar um rabinho de fora que fosse, pros caras carcarem ela. E foi o que aconteceu: acharam um motivo besta pra fazerem o impeachment e não pensaram duas vezes (e deixaram o Temer de fora do processo, mesmo tendo tido a sua participação nas pedaladas).
        Se eu soubesse os números da mega, tava aposentado há muitos anos já…

  8. Ricardo disse:

    “falsa polarização que tentam nos impor no país”, realmente, não há polos, são tudo farinha do mesmo saco.

    • Existem dois pólos bem antagônicos sim na sociedade: os tais mercados, que nada mais são do que os grandes grupos econômicos, que são os que realmente governam e todo o resto que tem pagado a conta da crise que eles criaram. Lula, Dilma, Temer, Bolsonaro, Kim Kataguiri, Fernando Holiday e um longo etc defendem o modelo econômico que beneficia o primeiro grupo brigando apenas para saber quem será o serviçal oficial deles e jogando com uma falsa polarização para tentar arrastar o segundo grupo da sociedade.

  9. Hugo disse:

    Enquanto existir essa política bizarra de “guerra às drogas” qualquer ação como essa nada mais será do que jogo de cena. Alguns traficantes vão rodar, um punhado de inocentes vão se ferrar na favela e a sensação de segurança na zona sul do Rio (aparentemente a única região que importa no Brasil) vai aumentar por um tempo; e isso será suficiente pra que vários setores da opinião pública vejam algo positivo nessa ocupação. Enquanto isso o tráfico se ajusta em algum outro canto e quem realmente lucra com todo esse negócio fica na espera pra contar a grana.

  10. Colorado SP disse:

    A bandidagem manda nas favelas e ninguém esperneia. Agora vem o exército e é uma choradeira só. Mania incrível de brasileiro defender bandido. Pessoas de bem não precisam se preocupar, vai ser revistado e depois liberado.
    E mãe super zelosa, não precisa ser do exército para ser chamado de senhor. Isso vc já devia ter ensinado faz tempo.
    Brasil, com essa sociedade vc não tem futuro algum.

    • O dia em que fizerem UPP em condomínio de luxo e enviarem o exército para estes mesmos ambientes com mandado de busca coletiva e chegarem metendo o pé na porta dos apartamentos daí eu até posso vir a quem sabe acreditar que esse tipo de operação visa enfrentar a delinquência mas enquanto os bandidos de gravata liderarem esse tipo de operação apenas nas favelas eu teria que ser muito cândido para dar o meu aval.

    • Rafael disse:

      Quem mais reclama nunca pôs os pés numa favela, muito menos ajuda os mais necessitados. Mesmo assim, quer posar de preocupado com os pobres, seu fetiche constante.

      • Rafael, não tem nada que ver com “equilibrar o jogo” fazer operações em bairros luxuosos, tem que ver com o fato de que é ali que reside os reais chefes do tráfico de drogas, ou você acredita que são os gerentes de bocas de favelas que são os todo poderosos? Aliás tem uma medida bem simples que poderia ser feita que chegaria nos principais cabeças de tudo isso: quebrar o sigilo dos bancos. E por que você acha que tal medida simples não acontece?

        Sobre botar os pés na periferia, estás falando com alguém que reside em um dos bairros mais violentos de Porto Alegre, cuja janela do quarto possui um furo de bala perdida.

    • mariomarcos disse:

      Bandidos? Por que moram em favela? O que se critica é o fato de só as crianças pobres, vulneráveis, serem revistadas. Qual seria a gritaria se isso acontecesse no Leblon?

      • Rafael disse:

        Agora quer problematizar a revista? Já fui revistado em entrada de estádio, já tive de mostrar a sacola na saída de um supermercado, já tive de mostrar a mochila na saída da fábrica, já passei por inúmeras blitzes. Nunca me incomodei, pois quem não deve não teme.
        As favelas estão tomadas pelo crime organizado, com munição pesada de uso militar, e você propõe ações no Leblon, para, quem sabe, “equilibrar o jogo”. É sério isso?

      • mariomarcos disse:

        Estás falando de coisas diferentes. Uma é ser revistado na chegada a um espetáculo ou no aeroporto. Outra é ser cercado e revistado ao chegar em casa ou voltar da escola. É um equívoco achar que as favelas estão tomadas por traficantes. A maioria absoluta dos moradores é formada por trabalhadores, conforme inúmeras pesquisas. O Leblon foi ironia porque, todos nós sabemos, em certas zonas ninguém bota a mão. O soldado que se arriscasse a revistar uma criança de um bairro nobre teria de mudar de profissão. Aliás, como dá para ver, nem ironia é admitida quando o assunto é a chamada zona nobre.

      • Rafael disse:

        “A maioria absoluta dos moradores é formada por trabalhadores, conforme inúmeras pesquisas.”
        Sim, MM, são majoritariamente trabalhadores, mas acuados e intimidados por bandidos fortemente armados, que realmente dominam aqueles territórios e obrigam gente de bem, inclusive crianças, a colaborarem com o crime. Certos pudores, como esse em relação à revista, são patéticos diante da situação crítica das favelas.
        O Leblon tem seus problemas e longe de mim querer proteger aquela área, que em boa parte é responsável pelo consumo final das drogas traficadas, o que alimenta todo o sistema. Mas não é zona de guerra, a situação é totalmente diferente e demanda ações igualmente diferentes. O efeito prático de revistar uma criança no Leblon seria zero.
        A propósito: ironias não estão imunes a críticas.

      • Rafael toda essa guerra na periferia seria evitada se os pretensos combatentes da delinquência quebrassem o sigilo bancário o que os levaria exatamente aos condomínios luxuosos dos bairros nobres onde residem os reais cabeças de tudo isso. Que por esse motivo óbvio eles prefiram essas ações custosas e ineficientes para ludibriar cândidos da opinião pública é completamente compreensível. O curioso é ver pretensos setores esclarecidos apoiar a caça dos gerentes para manter os “CEOs”.do tráfico ilesos, em operações que eles mesmo estão condenando. E dando nó em pingo d’água para tentar justificar essa patifaria!

      • Rafael disse:

        Quebrar o sigilo bancário de todos seria uma ação desastrosa, que só favoreceria o crime organizado, e muito provavelmente não mostraria as contas dos tubarões. Na Receita Federal existe uma lista VIP, na qual ninguém mexe sem autorização superior. O mesmo poderia acontecer nos bancos.
        A propósito: o tráfico de drogas não é mais a maior fonte de renda dos bandidos das favelas. O roubo de cargas tomou o seu lugar.

      • Rafael, não falei em quebra de sigilo geral, mas dos cabeças do esquema (ou você acha que nossos governantes não sabem quem são essas pessoas?) só que isso não vai acontecer porque estes são pessoas influentes, da alta sociedade e até com trânsito no governo. Veja que nem o “valentão” do Trump toma coragem para se valer da NSA e divulgar para o mundo os nomes dos barões do tráfico internacional, o que seria de grande valia. Mas enfim, continue aí apoiando operações militares ineficientes comandada por bandidos e que nunca resolveu o problema. A propósito: Holanda e Suécia estão fechando presídios por falta de delinquentes. Adivinha que medidas esses países tomaram para chegar nesse patamar?

      • Rafael disse:

        Sem querer invalidar as medidas tomadas nesses países, mas os fatores que mais têm influenciado a queda da criminalidade é o envelhecimento acelerado da população e a queda brutal nas taxas de natalidade. O contingente de presos tem caído assim como o contingente de crianças nas escolas.
        Olhar números brutos numa estatística, sem buscar suas reais causas, tem pouca validade.

      • Os números aos quais me apoiei não são brutos mas índices proporcionais. Eu não seria leviano de usar números brutos. Se a população destes países está atingindo tenra idade é exatamente porque as políticas lá adotadas contribuíram para baixos níveis de criminalidade. Em suma, são elas, e não o envelhecimento da população e a baixa natalidade que mantém a criminalidade baixa. Até porque sabemos que a maior parte da rapaziada do tráfico não vive muito tempo. Não sei se foi por desconhecimento ou conveniência mas faltou você citar a importante política de drogas nestes países, que é mais permissiva.

      • Rafael disse:

        O envelhecimento acelerado da população é decisivo para a diminuição tanto do total de crimes como de sua gravidade, pois a disposição para o crime diminui sensivelmente com o avanço da idade. O resultado são um menor número de condenações e penas com duração mais baixa. Da mesma forma ocorre com a redução da natalidade, pois diminui a quantidade de potenciais delinquentes.
        Qualquer análise estatística minimamente responsável deve expurgar esses fatores para, a partir daí, lidar com números que expressem realmente o resultado de políticas públicas. Evidentemente que os governos sempre querem capitalizar com melhorias nos indicadores, mesmo que pouco ou nada tenham contribuído para essas melhorias. Não admira que tantos programas governamentais importados fracassem no Brasil, pois geralmente não levam em conta os contextos tanto do país de origem quanto do de destino.

      • Rafael inaugurou o malthusianismo criminal. Haja nó em pingo d’água! Curiosamente se furtou de falar da política de drogas desses países e de nos informar quantas intervenções militares ocorreram por lá ou em qualquer outro país que tenha resolvido o problema da criminalidade.
        Aliás, hoje eu estava revendo o documentário “Domínio Público” de 2014 que retrata as UPPs no RJ. Na época muita gente apoiou e quem criticava era taxado de defensor de bandido. Não preciso dizer qual foi o resultado delas. Chega a ser risível ver no documentário os discursos do Sérgio Cabral e do então aclamado homem das UPPs, o gaúcho José Mariano Beltrame. As UPPs não só não acabaram com o crime como ajudaram no banditismo político-empresarial com remoção forçada de moradores e entrega de áreas para a especulação imobiliária. Cabral, sendo o que é, não poderia combater o crime mesmo! Mas tem quem acredite que o Temer, sendo o que é, pode! Dessa vez a intervenção vai funcionar! E não sei porque acabo me lembrando do Cândido de Voltaire!

      • Visite o meu blog e verás muitas críticas a ele e ao seu governo, desde os tempos em que ele era celebrado em Davos e que muitos coxinhas diziam que ele representava uma esquerda moderna. Em 2010, tem um comparativo com o governo FHC que mostra que ele foi a continuidade do tucano. Não adianta apelar para a falsa polarização para cima de mim! Jogue uma pedra em Lula e eu jogo mais mil nele!

      • Rafael disse:

        O sujeito vem aqui fazer propaganda do próprio blog.
        É cada uma…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s