Grêmio fica no empate e segue a oito pontos do líder

O Grêmio poderia ter saído da rodada com cinco pontos a mais na tabela – os dois que o líder Corinthians deixou escapar no empate com o Flamengo, no Itaquerão, e os três que esperava garantir com uma vitória sobre o Santos. Não deu certo. Ficou no 1 a 1, na Arena (32.251 torcedores), apesar de toda a pressão e do domínio absoluto, especialmente no primeiro tempo dos gols.

Com isso, o time seguiu no segundo lugar, mas, com 33 pontos, permanece muito longe do Corinthians, que chega a 41, com 80,4% de aproveitamento.

A irritação que tomou conta dos jogadores no fim da partida (Edílson recebeu o segundo amarelo e foi expulso, aos 52 minutos da fase final) e impacientou a torcida, que voltou sua raiva contra o árbitro, se deve muito ao que todos viram no primeiro tempo.

O Grêmio teve 14 conclusões contra apenas dois do adversário, oito chances de gol a um e teve quase 70% de posse de bola. No fim, os números mostravam 21 finalizações contra quatro, dez chances de gols contra a única do adversário – a do primeiro tempo, que resultou no gol do zagueiro David Braz.

Nos 15 minutos iniciais, pouco se viu, mas a partir a primeira chance, aos 23 minutos, quando Pedro Rocha aproveitou rebatida do goleiro Vanderlei e chutou por cima, o Grêmio passou a sufocar.

O Santos não conseguia sair de seu próprio campo, deixando os atacantes isolados na frente. Aos poucos, ficou claro que o time paulista não encontrava soluções para controlar a troca rápida de passes do Grêmio, as triangulações e os lances pelas laterais, especialmente pela direita. Foi assim aos 31, quando ele foi ao fundo e cruzou. Fernandinho e Éverton tiveram chances na sequência, mas erraram.

Aos 39, Fernandinho tentou de longe, e o excelente goleiro do Santos desviou. Como o Grêmio não marcava, o Santos surpreendeu na sua única chance real em toda a partida. Aos 44 minutos, na cobrança de escanteio da esquerda, Bruno Henrique tocou levemente de cabeça, na primeira trave, e David Braz cabeceou entre os zagueiros. Um a zero.

O Grêmio reagiu bem. Seguiu no domínio e no sufoco e chegou ao empate antes mesmo do fim da fase inicial: aos 47, Edílson outra vez cruzou da direita, Pedro Rocha chutou forte, Vanderlei fez uma defesa inacreditável e, na volta, Fernandinho tocou de cabeça para a rede. Um a um, alívio da torcida.

Antes da ida para o intervalo, o Grêmio ainda teve duas conclusões, aos 48 e 49, por Maicon e Fernandinho, mas o Santos resistiu.

No segundo tempo, tudo mudou.

Apesar de seguir dominando (a posse de bola ficou em 60%) e de ter mais conclusões, o Grêmio reduziu o ritmo, passou a ter dificuldades para pressionar diante de um Santos que procurou diminuir a velocidade. Passou a trocar passes, quase sempre na defesa, a truncar a partida, a fazer faltas e a contar com a irritação dos adversários.

O Grêmio concluiu mais sete vezes, mas a não ser pelo último lance, quando Luan forçou Vanderlei a outra grande defesa, teve poucas chances.

Renato fez trocas para buscar soluções e uma delas – a do equatoriano Arroyo no lugar de Éverton – foi saudada pela torcida. Era a estreia do último reforço conseguido pelo clube. Deu tudo errado. Menos de dez minutos depois, ele disputou uma bola no alto com o lateral Victor Ferraz e caiu no gramado com sangue escorrendo do supercílio e do nariz. Aos 44, precisou ser substituído, com suspeita de fratura.

Para complicar, o nervosismo custou caro. Aos 52 minutos, irritado ao ver Tiago Ribeiro impedir a cobrança rápida da falta, o lateral empurrou o atacante na frente do árbitro. Recebeu o segundo amarelo e foi expulso.

O segundo tempo foi tão truncado, com faltas ou lesões, que o árbitro deu 10 minutos de acréscimos.

O Grêmio volta ao Brasileirão quarta-feira, contra o Atlético-GO, em Goiás.

Anúncios

Sobre mariomarcos

Jornalista, natural de criciúma, fã incondicional de filmes, bons livros e esportes
Esse post foi publicado em Brasileirão, Grêmio e marcado , , , . Guardar link permanente.

14 respostas para Grêmio fica no empate e segue a oito pontos do líder

  1. Ricardo - DF disse:

    O jogo coletivo do time lhe valeu o domínio do jogo. Não deixa de ser impressionante como o Grêmio consegue amassar um time como o Santos, que fez 4×2 no mengo no meio da semana. Mas sentimos muita falta do Barrios. Everton errou dois gols, um deles só com um zagueiro pela frente. As finalizações e os acabamentos foram mal. No segundo tempo, parece que o time cansou, ficou tocando bola lentamente de um lado para outro. O Arroyos entrou meio perdido em campo. Ele mesmo afirma que sua posição é a do Rocha. Sem noção, com mais de um metro impedido, ele bate cabeça com o santista, talvez fraturando o nariz. Que estreia infeliz.

    O árbitro, teve desplante de não expulsar o santista no seu segundo pontapé por trás. Mas expulsou o Edilson por ter empurrado o atacante deles, que se jogou no chão. Talvez, se o Maicon devesse ter se atirado no chão e rolado mortalmente ferido pelo pontapé que recebeu do Iuri, o árbitro tivesse dado o segundo amarelo e expulsado ele. Até o pessoal do Sportv, que vive em cima do muro, reconheceu isso. Enfim, que timezinho catimbeiro esse Santos.

  2. Rodrigo R. disse:

    Escalação 4-2-4 ridícula imposta por um treineiro medíocre. Novamente, pela centésima vez, reduz o time a ataque e defesa. O Santos teve uma guerra no meio da semana enquanto o Grêmio fez turismo em Curitiba: 1×1 para o Santos, nova derrota de 1×1, como contra o ridículo São Paulo, que jogou motivado e pediu para perder motivado e o paquidérmico Grêmio com 4 volantes não agrediu. Agora, de meio campo paquidérmico, passou a meio campo inexistente. Palhaçada que só esse verme histriônico multitietado sabe fazer.

    O time só segurou o Santos enquanto teve fôlego para correr de forma alucinada pelo ataque, domínio enganoso que estava na cara que iria até o início do segundo tempo, tal a correria para corrigir a desorganização. Desequilíbrio absurdo. Barrios, nessa gororoba, não adiantaria de nada, como não adiantou no 4-1-5 contra o Avaí. Sorte dele e azar de Everton jogar nessa bagunça. Pobre Everton, que tentava se firmar no time. Treineiro canalha! O time cansou porque todo time que joga na área do adversário cansará e deveriam saber disso, e se não resolver até os 15 do segundo tempo será dominado e estará no lucro se não perder.

    O “meio-campo” de dois: Maicon ridículo, lerdo, ex-jogador, mas bruxo capitão, e Ramiro jogando do jeito que nunca se destacou. As lesões consertam o time e o treineiro destroi. Que chegue 2018 e ele suma do Grêmio, fanfarrão, falastrão, farofeiro, burro e paneleiro, e leve com ele enfiado no rabo:

    Grohe: o frangueiro dos “gols indefensáveis” – mas espectador das defesas em “lances indefensáveis no lado oposto” (isso quando não frangueia descaradamente!) Suspeito que seja “gato”: tem 50 anos pelos reflexos. Passou da zaga é caixa! Não sei qual a maior praga, se é ele ou Maicon: igualmente enraizados. Sem a saída de desse treineiro, continuarão os dois, com Maicon à frente com a braçadeira! E aquela coisa de, pelo goleiro, transformar derrotas em empates, empates em vitórias e até derrotas em vitórias estará muito longe do Grêmio.

    Edilson: indescritível naba que já fez seu gol de falta anual, logo pode ser dispensado até o ano que vem, mas depois do godoycruz, para ele ser lesionado, e não Moura, nas botinadas do nanico argentino.

    Maicon: em sua eterna lerdeza em busca do “Ritmo de Jogo” ferrando o time! O quão grande pode ser o amor de um treineiro ridículo (pior que Zago, Argel e Roth) por um bruxo seu? Coloque-se Maicon contra o godoycruz também, não há riscos de eliminação e nos livramos dele com uma cacetadinha básica bem dada!

    E leve sua tietagem messiânica junto! Coitados, mal sabem que esse lixo que idolatram era colorado – e flamenguista, vascaíno botafoguense, tricolor carioca e cruzeirense.

    • Matheus RS disse:

      O meu. Te interna, vai fazer bem pra tua família e mal pro manicômio.

      • Rodrigo R. disse:

        Porque não admite que apenas rangeu os dentes de ódio lendo o que escrevi?
        Vá escrever o que pensa sem se pendurar, isso não é rede social às quais você está acostumado – e sua falta de opinião deixa isso claro. Qual sua opinião sobre o post? Role a página até o fim e a escreva, mostre que, você sim, é “lúcido”…
        Aguardando a sua opinião.

  3. Rodrigo R. disse:

    E 4-2-4 que no primeiro tempo chegou a virar 3-1-6 e 2-1-7 e 2-0-8, conforme a subida e permanência dos laterais e volantes. Amadorismo padrão maratonista que sai como se estivesse em 100m rasos. Evidentemente aguentaria um tempo só. Se o Santos não tivesse cansado, Levir Culpi, que é 50 vezes mais treinador, guardaria no bolso o imbecil distribuidor de camisas do Grêmio.

    • Chico disse:

      Conclusão: Bom mesmo é o Joel Santana, o Negueba e o Atlético Goianiense

      • Rodrigo R. disse:

        Eu escrevi isso? Conclusão nota zero a sua. Viu o jogo? Se viu, faça o seguinte: role a página até o fim e escreva lá sua opinião diferente da minha, como eu faço sempre, sem me pendurar, sem ser crítico da crítica.

      • Chico disse:

        Rodrigo o que me incomoda é o excesso, sua crítica extrapola o bom senso, utiliza palavras de baixo calão ofendendo os profissionais, Provavelmente palavras como ¨Verme, ridículo, lerdo, treineiro, burro, paneleiro, falastrão, frangueiro, naba, lixo* tu não usaria se estivesse a frente destes pessoas.

      • Rodrigo R. disse:

        Pior é que usaria sem hesitar, só deixaria, antes, a iniciativa para o outro, para ter a legítima defesa do meu lado para aproveitá-la muito bem e ter menos risco de me incomodar com as autoridades. Se a coisa for para a porrada tenho uma vida de treinos em 4 artes marciais diferentes, competindo ainda em algumas modalidades. Mas sou mais tranquilo que muitos aqui, ao menos em temas fora de futebol (Grêmio) e política, que são geradores de hostilidades.

        O problema é o patrulhamento aqui: me jogam muitas pedras, a patrulha renatista messiânica; nunca tenho iniciativa de atacá-los, me pendurar em comentários a fazer crítica da crítica, mas patrulham como vespas, mesmo quando não uso tais termos que citou. Acho que isso me faz chegar aqui algo sem muito humor, em notícias como essas que envolvem incompetência do (des)treinador que é capaz de ferrar o Grêmio e ser absolvido pelos seus crentes – que colocarão na fogueira outros no clube de forma injusta como só fanáticos sabem ser.

        Torço para o Grêmio, Renato é figura descartável.

  4. Ricardo disse:

    Nem vi o jogo mas, pelo que o Rodrigo R. disse, o gremio deve estar uma merda e o Renato não treina mer..cadoria nenhuma.

  5. Diego disse:

    Renato deve ter comido a mulher do Pedro de Lara, só pode.

  6. Ricardo - DF disse:

    Maicon jogou bem, Ramiro nem tanto. Arthur fez falta. O Santos jogou como time pequeno, uma retranca braba. Mas o time precisa encontrar alternativas para furar retrancas. Penetrações rápidas, o facão como dizem, ou um cara vindo de trás. Alguém entrando em velocidade e recebendo a bola no tempo certo. Difícil, mas teria que treinar isso.

    Confirmou a fratura do Arroyos. Que zica.

  7. andreas boos disse:

    Eh… ta dificil mesmo, dentro das minhas condicoes, pra ver um VT de um jogo do gremio. Cada vez que “parece que vai” acaba fondo …
    vamo la perde a esperanca nao kkk

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s