Pedro Rocha, um jogador fundamental no esquema do Grêmio

O Pedro Rocha de hoje, jogador fundamental no esquema do Grêmio, tem muito a ver com o técnico Renato.

Desde o início, indiferente às críticas de parte da torcida e de alguns analistas, Renato insiste que Pedro Rocha é um jogador importante no ataque e indispensável para o funcionamento do esquema tático. Quem discorda no momento?

Nem precisa recuar lá para a já distante decisão da Copa do Brasil, quando o jogador encaminhou em Belo Horizonte o título que seria confirmado na Arena. Peguem a partida da última segunda-feira, contra o São Paulo.

Antes, o momento decisivo: aos 19 minutos do primeiro tempo, ele arrancou do campo do Grêmio, na linha divisória evitou o carrinho do zagueiro Arboleda com um toque rápido, avançou em velocidade, entrou na área em diagonal e, quando percebeu que os companheiros estavam marcados, deu um último toque para o meio e bateu forte, rasteiro, de pé direito. Gol, como tantos outros que ele tem feito desde que subiu da base. Com força, velocidade e técnica.

Depois, a função tática: em vários momentos da partida, como ocorre em outras, Pedro Rocha aparece atrás de Cortez, ocupando a posição de lateral-esquerdo. É uma das participações mais valorizadas por Renato. Pedro Rocha faz, como poucos, a chamada recomposição do meio quando a bola está com o adversário.

A diferença entre o Pedro Rocha de antes e o de agora é que, aos poucos, ele tem conquistado a parcela resistente da torcida. Não é mais criticado com tanta força, nem recebe as vaias que ouviu em muitos momentos.

A exemplo de Ramiro pelo lado direito, Pedro Rocha é uma peça fundamental no esquema que tem mantido o Grêmio bem classificado nas três grandes competições que disputa.

 

 

Anúncios

Sobre mariomarcos

Jornalista, natural de criciúma, fã incondicional de filmes, bons livros e esportes
Esse post foi publicado em Brasil, Grêmio e marcado , , , . Guardar link permanente.

13 respostas para Pedro Rocha, um jogador fundamental no esquema do Grêmio

  1. Rodrigo R. disse:

    Na Copa do Brasil anterior à do título, em 2015, o Grêmio perdera para o Criciúma em casa e teve de reverter fora; ganhou com um gol de Rocha e passou nos pênaltis. Nesse jogo, no segundo tempo, Pedro Rocha estava apertado contra a linha de fundo e um cara do Criciúma chegou lotado. Rocha deu uma cavadinha na bola e o cara parou uns 5 metros longe, lá nas placas de publicidade, e Rocha mal saiu do lugar, para depois cruzar a bola com calma. É um cara frio, o choro depois da expulsão contra o Galo, um ano depois, não corresponde ao seu jogo. Não tem medo de nada, dribla, arrisca, não pipoca, enfrenta, até bate – só esqueceu que estava amarelado ano passado… Voltando àquele ano de 2015 ele apareceu fazendo tudo no ataque, assistências, conclusões, mostrando uma técnica muito refinada, com toques sutis e elegantes, muitos de primeira, passes milimétricos, tudo sem enfeites. Eu escrevia contra os críticos dele, que começaram a surgir como minhocas em terra molhada de chuva quando Rocha começou a perder gols, que jogador que faz esses e aqueles lances (citando lances de talento dele) costuma render muitos títulos e euros para um clube. Mamute sucumbiu à corneta, saiu, voltou, mas está fora dos planos, um desperdício, é um cara que teve destaque na seleções jovens. A paciência e blindagem com caras formados na base do clube precisa ser maior, ainda que tenha melhorado com Bolzan. Rocha chegou a ser reserva na fase ruim do time ano passado, quase foi negociado, mas reagiu felizmente, e nunca mais terá sua posição de titular questionada.

    E reagiu sem apoio da torcida, em geral. Esta se ocupa em bajular o “menino” de quase 25 anos pipoqueiro Luan, o craque do jogo facilitado por, entre outros, Pedro Rocha. E bajula porque a TV diz que ele é o craque do time o tempo todo, a TV o escolheu como craque do Grêmio. Cada clube tem seu “craque”, craques ajudam a promover e vender jogos, facilitam o roteiro da propaganda televisiva, inventando rivalidades com o “craque” do adversário, etc, etc, e os otários na frente da tela, como bons lobotomizados (em futebol ou não – a midia cria craques e bandidos com a mesma facilidade) aceitam. Se escolherem Bressan, e fizerem aqueles hologramas idiotas dele e tudo mais que esses programinhas juvenilizados fazem, no dia seguinte o zagueiro pereba fica duas horas dando autógrafos. Fora isso, o treinador coloca Luan como o melhor jogador do Brasil várias vezes, dá apitinho para ele em entrevista, um mundo de mimos e bobagens, ao que os fanáticos messiânicos renatistas dizem amém, sem reparar que Luan não é do tipo que aguenta essa paparicação pressionadora.

    Se tivesse a personalidade de Rocha, Luan se aproximaria do que a midia, Renato Bieber e tietes dizem dele, porque o deslumbramento o faz se afastar do que pode fazer e só faz de vez em quando, porque pensando que é craque, enfeita e complica lances simples para “embelezá-los”, como que compromissado a ser o que todos dizem a sua volta e na TV, para não “decepcionar”. O caso do IPVA/CNH está nesse pacote de deslumbramento que dá sensação de poder mas enfraquece os miolos de quem não tem estrutura emocional. Não conheço a formação pessoal dos dois, mas Pedro Rocha dá um banho de maturidade em Luan com metade de tempo no time principal, tem bem maior possibilidade de dar certo na europa – e que os europeus demorem uns dois ou três anos anos para descobrir isso, espero!

    • Chico disse:

      Rapaz, tá demais esta implicância com o Luan, único craque do time, tu tá fazendo o papel da IVI de desvalorizar o patrimônio do Gremio, não contribui em nada e coloca em dúvida o teu gremismo.

      • Rodrigo R. disse:

        Não me venha com “IVI” e com “Luan craque”, isso é coisa de adolescente que só viu a copinha do brasil do ano passado e se acha o rei das galáxias e nunca viu craque de verdade. “IVI” é termo de crentes em conspiração típicos do blog do algoz que você deve conhecer: é a capital do alentamento patrulheiro onde toda crítica é vista como ataque de colorado e evidentemente bloqueada, mas mandam os soldadinhos por aí, é só ver os espaços de comentários na ZH aí do sul. Criticou inter? gremista! Criticou Grêmio? colorado! Não me adapto a essa palhaçada. Volte para a tua laia “religiosa” e não se pendure nos meus comentários, não tem nenhuma condição de me fazer mudar de ideia porque nem tem a própria.

    • Chico disse:

      Cara, teu caso é para médico.

      • Rodrigo R. disse:

        Sim talvez um antiácido ao perceber um cara perder tempo para nada escrever, a carimbar apenas, apenas jogando meia dúzia de palavras sem opinião nenhuma que preste para, em outras palavras, e se pendurando no meu comentário, gritar: “hei eu existo! não esqueçam” Teu problema se resolveria com mais livros e menos whatsapp, seu analfabeto funcional vagabundo.

      • Rodrigo R. disse:

        Aguardando tua opinião sobre o post, seu anfíbio. Vamos ver o que sai.

  2. Ricardo - DF disse:

    Para mim, o Rocha segue o mesmo. As vezes mata na canela, dá um passe torto. Outras vezes faz grandes jogadas. Continua sendo um mau finalizador. Mas, além de ser um jogador taticamente aplicado, tem se destacado por boas assistências. Hoje, realmente, é titular.

    Nunca vi um jogador que por vários meses foi um verdadeiro perna de pau ter tanto apoio. Me pergunto se um Mamute, como o Rodrigo comenta acima, ou um Lincoln, ou um Éverton, não daria uma boa resposta se recebesse tanta chance e tanto apoio.

    Lincoln, por exemplo. Tem problemas extra-campo ? Não é tão aplicado ? Mas, se recebesse responsabilidade, fosse mantido no time por um ano, como o Rocha, sem se ameaçar sua titularidade. Será que não estaria voando hoje, como o grande craque do campeonato ?

    Lincoln não marca ? Mas Douglas também não. Renato entortava o time para manter Douglas livre, leve e solto. Eu fico com a impressão que Lincoln seria o craque do campeonato se recebesse todas essas benesses.

    • Carlos Borges disse:

      Um jogador que “vive” do futebol e demonstra falta de vontade, preguiça e indolencia em treinos, e o pior, quando entra nos finais de jogos tambem, não pode receber tantas chances comom ainda recebe. Se fosse um profissional de uma empresa séria, já teria sido DEMITIDO há muito tempo. Ele tem chances e mais chances e não evolui. Deve ser emprestado para ver se PODE ainda ser útil para o futebol, ou vir a ser pedreiro…..

      • Ricardo - DF disse:

        Mas não me parece que entre displicente, ao contrário, vejo ele bem participativo quando entra. Muitos craques eram displicentes nos treinos. Um guri imaturo, que talvez se ache, certamente pode mudar de comportamento, mas acho que tinha que ser jogando.

        O Roth xingava o Douglas Costa. “Pensa que joga, mas não joga bosta nenhuma”, dizia o velho Roth. Hoje, Douglas está lá, brilhando na Europa.

        Enfim, não conheço os bastidores, mas então que dêem uma chance ao guri em outro lugar, como fizeram com o Júnior, que foi estourar no SP.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s