Grêmio joga bem, mas fica no empate no Morumbi

O Grêmio esperava voltar de São Paulo com os seis pontos mais confortáveis de distância para o líder Corinthians, esteve bem perto de vencer, mas bastou um descuido para sofrer o empate em 1 a 1, na noite desta segunda-feira, no Morumbi. Com isso, o Corinthians sai da rodada com dois pontos de lucro. Agora, entre o líder (40 pontos) e o segundo (38) há uma diferença de oito pontos – ou, pelo menos, três rodadas.

O São Paulo segue no desespero: está no 18º lugar, entre os rebaixados.

O jogo parecia tão controlado que na saída de campo os jogadores do Grêmio mostraram-se decepcionados com o empate. Com razão. Apesar de ceder a posse de bola ao São Paulo (58%), o time gaúcho teve mais conclusões (16 a 10) e mais chances de gol (sete a quatro). Além disso, fez do goleiro são-paulino Renan um dos destaques da partida, com pelo menos duas defesas excepcionais: aos 25 minutos do segundo tempo, ao desviar bola chutada por Edílson, e principalmente aos 36, quando Fernandinho bateu de primeira, de dentro da área, e ele tocou a escanteio.

Não foi uma apresentação como as melhores do time neste Brasileirão, mas desde o início o Grêmio controlou o São Paulo, sem dificuldades. Com bom toque de bola, triangulações e passes rápidos, não deixava espaços nem permitia a pressão do adversário, a tal ponto que deixou o técnico adversário Dorival Júnior impressionado:

– O sonho de todo treinador é ver seu time jogando como o Grêmio faz – disse na entrevista. – Um dia o São Paulo chega lá.

Logo a um minuto, Luan teve grande chance de marcar, ao entrar livre na área. A conclusão saiu fraca. Aos 19, o Grêmio marcou, em jogada típica de Pedro Rocha: ele ganhou a disputa com o zagueiro no meio do campo, avançou em velocidade pela esquerda, entrou na área, driblou para o meio e bateu rasteiro, de pé direito. Um a zero.

Mesmo incentivado por um grande público (51.511 torcedores, o segundo melhor do campeonato, atrás apenas dos mais de 54 mil da partida entre Grêmio e Corinthians na Arena), o São Paulo não conseguia pressionar. Luan teve outra chance, aos 38, e Ramiro só não marcou aos 42 porque Renan fez a primeira de suas grandes defesas.

O São Paulo não teve uma única boa conclusão.

Na volta para o segundo tempo, Dorival Júnior fez duas trocas no São Paulo. Apostou em Cícero, para ter um volante com melhor passe, e no garoto Lucas Fernandes, para dar um companheiro a Lucas Pratto. E deu certo. Aos 18 minutos, o time avançou pela esquerda, o lateral Edmar foi ao fundo e cruzou. Pratto bateu de primeira, Grohe fez a defesa, mas no rebote, Lucas Fernandes completou. Um a um.

Renato agiu logo. Trocou Arthur, cansado, por Fernandinho para buscar a vitória. O Grêmio voltou a controlar a partida. Teve boas conclusões aos 25 (Edílson), aos 36 (Fernandinho) e aos 37 (Ramiro), mas não conseguiu a esperada vitória – que garantiria os três pontos e manteria a diferença para o Corinthians em seis.

O Grêmio volta ao Brasileirão no domingo, contra o Santos, na Arena. Antes, na quinta, decide a classificação na Copa do Brasil diante do Atlético-PR, com imensa vantagem: na primeira partida, em Porto Alegre, goleou por 4 a 0.

Anúncios

Sobre mariomarcos

Jornalista, natural de criciúma, fã incondicional de filmes, bons livros e esportes
Esse post foi publicado em Brasileirão, Grêmio e marcado , , , . Guardar link permanente.

17 respostas para Grêmio joga bem, mas fica no empate no Morumbi

  1. Maurício disse:

    Parece que o Corinthians faturou o turno.

  2. Rodrigo R. disse:

    Estava tentando ignorar o futebol no Brasileirão, me resumia a assistir os jogos do Grêmio e nada mais, porque não acredito no trololó de que o Grêmio o queira vencer. E a prova disso será a escalação de titulares para se desgastarem na classificação definida contra o CAP, que fede de ruim – e é bem capaz de colocar reservas jogando a toalha para lutar contra o rebaixamento (será que até nesse caso o Grêmio vai escalar os titulares?) Santos terá guerra contra o Flamengo, tem motivos para se desgastar e ser presa fácil, cansado, logo depois contra o Grêmio, que deveria descansar nesse meio de semana – e depois do Santos? Atlético-GO, mais um jogo para descansar com um mistão. São Paulo, Atlético-PR, Santos e Atlético-GO: quatro jogos? Não dois jogos no “terrível” calendário.

    Já vi partidas fracas do Grêmio sem prejuízo ao resultado (desde o confronto com o Cruzeiro o Grêmio só joga para o gasto no Brasileirão), mas esse empate contra esse varzeano São Paulo (que é pior do que eu pensava, pior do que eu tinha visto antes e é candidataço ao rebaixamento), num campo bom e seco, com o estímulo de casa cheia, que normalmente mobiliza o visitante também, é demais para a minha paciência. Aceito o Grêmio jogar de sangue doce, para o gasto, jogasse mal e vencesse estaria aplaudindo, meio a zero estaria aplaudindo, mas jogue o suficiente para ganhar! Era uma barbada, BARBADA!!! Que diabos! Poupando uns dois ou três por jogo e administrar o calendário apertado dessa forma, tem bola para ganhar sempre – e se viu isso hoje de novo! Mas esse empate nojento, preguiçoso, intragável e vergonhoso não passa por isso! Essa bosta de escalação permitia a vitória; não ganhará de jeito nenhum do Santos com ela ou pequenos retrancados, mas fora dá para ganhar, ainda mais contra o TIME VARZEANO bambi.

    Estou me acostumando desde a derrota com o Corinthians com o iminente novo ARREGO do Grêmio nesse campeonato-teste-de-verdadeira-grandeza onde 7 dos 12 grandes passaram e o Grêmio não passou no teste – aliás, o RGS não passou, o único estado do quarteto de estados com mais tradição que não passou no teste de grandeza, e depois choram cotas melhores, NÃO MERECEM! Dá-lhe cotas MAIORES para os verdadeiros grandes, dá-lhe cotas MAIORES para os que dão mais audiência, até porque ganham mais títulos, dá-lhe cotas maiores para os verdadeiros grandes que valorizam o campeonato mais difícil da América Latina, o Brasileirão no formato pontos corridos e turno-returno!! Dá-lhe cotas MAIORES para Corinthians e Flamengo, que tendo ou não time sempre pensam numa coisa só: TÍTULO, sendo até zoados (o “cheirinho” do Flamengo ano passado que o diga.) Dá-lhe cotas MENORES para ARREGÕES do campeonato mais difícil da América Latina mesmo quando tem time para vencê-lo!! Como os 5 dos 12 maiores que não o ganharam, NÃO PROVOU SUA GRANDEZA. (Libertadores: fora a grife, não é mais difícil que a Copinha do Brasil. Falando em copinha do brasil: Rei de Copas é um só, o grande Independiente de Avellaneda, o resto é rei de copinhas de camelô!)

    A maior ofensa que o Grêmio pode me dar é falta de ambição, seja em jogo, seja em competição. Tolero ruindade mais que complexo de viralatas e pensamento pequeno. Que punhalada esse time me deu hoje, cara!

    • Diego disse:

      Vai torcer pro Barcelona então, rapaz. Gremista que avacalha a história do próprio time é Cocolorado recalcado.

      • andreas boos disse:

        KKK … to falando que tem mais torcedor “gremista” disfarçado do que colorado…
        eita vontade de ser colorado…

  3. Rodrigo R. disse:

    Dois jogadores polêmicos entre gremistas.

    Grohe (que acho frangueiro): Concordo que falhou, o frangueiro Muriel era trucidado pelos colorados por espalmar para a frente para o rebote do adversário, mas o jogo hoje já deveria estar definido ali, tamanha a moleza, e Grohe tinha poucas condições de espalmar para longe ou para o alto.

    LUAN (que acho bom jogador): O PIOR EM CAMPO DE NOVO!! Só joga no 4-3-3, só entra (e às vezes) no jogo com espaço no meio para descer, articular e voltar ao ataque. Não é falso 9, não é articulador, não é atacante. Luan está há quatro anos não jogando nada na frente, nesse tipo de formação com 4 no meio que o empurra para frente. A acidental entrada de Barrios na lesão de Bolaños contra o Guarany o tirou das cinzas: estava se encaminhando a treinar em separado com Mamute. O volume que o ataque recebeu permitiu a Luan descer e “visitar o meio campo” sem o time perder o ataque. TESE: Luan precisa mais do Grêmio do que o Grêmio precisa dele. Grande jogador do jogo que o time descomplica para ele. O craque do jogo facilitado! Já vi o Grêmio jogar bem com Luan mal muitas vezes, mas Luan jogar bem com o Grêmio jogando mal nunca, conclusão: jogador comum.

  4. Rodrigo R. disse:

    Grêmio joga bem, mas fica no empate no Morumbi
    ENTÃO NÃO JOGOU NADA!

    Mario, aqui não é como nos espaços de messiânicos-renatistas dos espaços de comentários de jornais, ou blogs igrejinhas de alentamento (tem igrejinha de esculacho/corneta e alentamento, pode?) Fique tranquilo para dizer que o Grêmio não jogou nada, ninguém vai dizer que você é colorado.

    • Rodrigo R. disse:

      Retiro o que escrevi, Mário Marcos. Jamais escreva que o Grêmio não jogou nada por aqui – ou escreva com um capacete contra pedradas…

  5. Rodrigo R. disse:

    O time foi frouxo e bundamole. Sem agressividade nenhuma, a defesa do São Paulo passou o jogo apanhando da bola sob os olhares preguiçosos dos raros gremistas a “cercar”, isto é, trotar ou até ficarem parados parados à espera da bola de presente nos pés, sem aquele cheiro de sangue de ver a ruindade diante de si e perto do gol. A zaga do São Paulo é (ou foi) pior que a do Vitória, mas foi triste ver a total falta de volume ofensivo gremista. Ataque rarefeito que quando o time recuperava a bola tinha que esperar o apoio vindo não do meio paquidérmico mas lá da defesa. O Grêmio já manteve a marcação alta contra times muito mais fortes, a fragilidade do São Paulo me dava ânsia de vômito de ver o Grêmio preguiçoso na sua defesa, que nem trabalho teve, como se o Grêmio fosse um time (em regra) de correria de meta a meta. O Grêmio é time de partir para contrataque do meio campo, não da defesa.

  6. Rodrigo R. disse:

    Com três meias e três atacantes e postura alta em campo não é preciso nenhum meia articulador, mas com quatro meias é preciso articulador, que o Grêmio não tem. Se esse fanfarrão motivador quer colocar o bruxo dele (que já chega e vai para a janelinha com a braçadeira) como aconteceu contra o Bahia (onde não mereceu vencer) então precisa de um meia para agilizar as coisas e ter objetividade (meia mesmo, não atacantes que fazem de conta que são meias tipo Luan ou Bolaños.) Quatro volantes é “pracabá”!

    (E nem sou fã de articuladores, os neurônios devem se espalhar pelo meio campo, sem centralização num jogador, o que é coisa do passado. Mas alguém deve ter criatividade aguda, ao menos um. De novo: quatro volantes é “pracabá”!)

  7. Carlos disse:

    O Rodrigo …. acho que tu é um IDIOTA, não comenta nada, e acha que entende alguma coisa !!!

  8. 66 disse:

    “Estava tentando ignorar o futebol no Brasileirão, ”
    Bah…desistiu de ignorar e voltou com tudo.
    Esse ganha disparado de mim em materia de texto comprido.
    Dormi na terceira estrofe.
    Deve ser um dos que vaiam o Luan.

  9. Maurício disse:

    Começo a entender o significado de ‘patrulha de comentário’.

  10. Henrique disse:

    É uma pena o curintia estar nessa campanha anormal senão o campeonato seria bem melhor.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s