Para pensar

“(…) Não acho que estamos perto de acabar com o racismo. Eu não posso me ter como ponto de referência porque trabalho na Globo. A referência é o menino que atende na lanchonete. Como ele é tratado? Precisamos de mais representatividade. Infelizmente eu, o Lázaro, a Taís, nós somos ainda anomalias sociais. Não somos a regra, temos muito o que evoluir… Quando vou às comunidades, a galera fala: ‘Você é o negão da Fátima, né?’. Por mais que ainda não saibam meu nome, tem uma questão de identificação racial e conexão local. Quando eu era criança, minhas referências de negão na televisão não eram legais. Estou aparecendo na TV e não é em condição pejorativa, não é como bandido (…)”

(Manoel Soares, 37 anos, ex-repórter da RBS, hoje integrante da equipe de Fátima Bernardes na Globo, em entrevista ao UOL, ao falar sobre um tema que sempre preocupou no seu trabalho)

Anúncios

Sobre mariomarcos

Jornalista, natural de criciúma, fã incondicional de filmes, bons livros e esportes
Esse post foi publicado em frases e marcado , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s