Grêmio começa a decisāo com o Atlético-PR

Três dias depois da derrota frustrante para o Corinthians, o Grêmio volta a campo, no início da noite desta quarta-feira, para abrir o confronto mata-mata contra o Atlético-PR, na Arena, pelas quartas de final da Copa do Brasil.

Na conversa com seus jogadores, o técnico Renato insistiu na ideia de que faltam apenas seis jogos para conquistar outro título. Foi um jeito de amenizar a decepçāo pela derrota para o Corinthians, que impediu o time de chegar à liderança.

– Eu trabalho a cabeça – disse Renato. – Sou pscicólogo. Não consigo trabalhar parte tática, repetir. Tenho trocado o trabalho tático pelo descanso. A gente procura recuperar jogadores da melhor maneira possível de um jogo para outro.

Depois do jogo de domingo, os titulares do Grêmio nem treinaram. Preocupado com o desgaste, Renato deu descanso aos jogadores. A ideia é evitar lesōes pelo desgaste.

O Atlëtico de Eduardo Batista vem em uma fase de recuperaçāo. O time venceu as últimas quatro partidas do Brasileirāo.

O jogo com o Atlético começa às 19h30min.

Anúncios

Sobre mariomarcos

Jornalista, natural de criciúma, fã incondicional de filmes, bons livros e esportes
Esse post foi publicado em Copa do Brasil, Grêmio e marcado , , , . Guardar link permanente.

5 respostas para Grêmio começa a decisāo com o Atlético-PR

  1. Rodrigo R. disse:

    A Copa do Brasil surgiu com duas vagas para cada estado e foi esquentando ao longo dos anos 1990, baseada em clássicos empolgantes com casa cheia envolvendo especialmente Grêmio, Cruzeiro, Palmeiras, Corinthians e Flamengo, jogos que reuniam não apenas os melhores da competição, mas os melhores do Brasil. E foi ganhando cada vez maior cobertura e midia. Na década seguinte a Copa do Brasil começou a ser desfalcada dos times particiantes da Libertadores, e com o surgimento do Brasileirão em formato pontos corridos, sendo fundado o verdadeiro campeonato brasileiro (os anteriores eram copas, campeonato só no nome), e com o grande aumento de vagas à Libertadores, a Copa do Brasil virou nada mais que uma porcaria na década passada.

    Gostei muito quando os times da Libertadores recuperaram o direito de disputar a Copa do Brasil: esperava o retorno da velha Copa do Brasil quente, dominada por times fortes e, ao mesmo tempo, calava as viúvas do “Brasileirão-copa” (todos os Brasileirões de 2002 para trás, todos com formulismo), afinal não tem sentido termos “duas” copas do brasil no ano. Que a Copa do Brasil fizesse essas viúvas se calarem e deixarem o Campeonato Brasileiro nessa fórmula atual de pontos corridos em paz.

    Os gaúchos, fracassados nesse formato atual do Brasileirão, vieram com várias teses: SPFC vai monopolizar, Corinthians e Flamengo vão ser Real e Barcelona do Brasil, etc. A verdade: não gostaram do Brasileirão em pontos corridos porque não tem tamanho para ganhar. Sobrou a conversa que só SP e RJ venceriam, mas o grande Cruzeiro detonou isso também num bicampeonato brilhante, sem folha maior que a que a dupla Grenal paga (inclusive o inter na segundona ainda gasta uma fortuna mensal, a maior folha da história da segundona e uma das maiores do Brasil). E temos absolutamente claro o seguinte: não gostam do brasileirão em pontos corridos aqueles que duvidam que seu clube tenha grandeza para vencer um Brasileirão de verdade!

    Antes o Brasileirão só era deixado de lado por motivo justo: o Mundial interclubes em Tóquio. O calendário simplesmente proibia (como não ocorre mais) de se disputar o brasileirão e depois o Mundial. Antes de enfrentar o Ajax o Grêmio teve que jogar domingo, terça, quinta e domingo. Evidentemente os campeões da Libertadores tinham que largar o Brasileirão. Em comparação, para se ver como isso mudou, os colorados em 2006 foram vices no Brasileirão, isto é, puderam jogá-lo, e as coisas melhoraram mais desde então. Hoje, pelo calendário, dá sim tranquilamente para ganhar o Brasileirão e buscar o Mundial, “basta” ter time. E a Libertadores a conta gotas permite jogar ao mesmo tempo Brasileirão e Libertadores, as duas maiores disputas no calendário de um time brasileiro, como na europa com nacionais e Champions League.

    O Brasileirão em pontos corridos chegou em 2003 e “foi dito”: AGORA EU QUERO VER QUEM É REALMENTE GRANDE! E os gaúchos fracassaram miseravelmente. O pior que pode acontecer é acabarem com esse formato na competição e voltarem ao formulismo sem ter ganho ao menos um em pontos corridos. Seria a eternização da pequeneza. Mais que querer ganhar o Brasileirão tenho pressa que o Grêmio o vença. Dos 12 de maior torcida, 7 passaram no teste de grandeza, dos 4 maiores centros, 3 passaram no teste de grandeza.

    O que eu não me liguei quando os times da Libertadores voltaram à Copa do Brasil é que antes, nos anos 90, a Copa do Brasil não coincidia com o Brasileirão, então essa decisão porca de priorizarem a competição menor e arregar vergonhosamente da maior não era possível. Como se esconde doce de criança na hora do almoço, é preciso esconder da torcida do Grêmio a Copa do Brasil para que deem o valor para a refeição séria: o Campeonato Brasileiro, que entre as duas é o que faz o clube maior.

    De forma clara: vou secar o Grêmio hoje, e sempre vou secar o Grêmio nas competições menores que estorvam se o Grêmio não tiver iniciativa de colocá-las em segundo plano quando tiver time para ganhar Brasileirão, Libertadores e Mundial (impossível este ano), enfim, quando tiver time para ganhar as competições grandes (entre as quais não está a copinha do brasil), vou secar o Grêmio na copinha do brasil, porque essa competição-guloseima pequena satisfaz o estômago do Grêmio e tira a fome, o acomoda e afasta das maiores competições.

    Ja li colorados, depois das melhores atuações do Grêmio, escrevendo que “fecham acordo pelo Grêmio vencer só a Copa do Brasil”; os gremistas fanáticos por copinha do brasil deveriam interpretar isso bem. A copinha do brasil é tão grande que os colorados se sentiriam aliviados se o Grêmio não vencesse nada além dela! E esse sentimento bate com o meu no seguinte ponto: se o Grêmio ganhar só copinha do brasil me sentiria completamente frustado, como em anos em que terminou sem nada. Copinha do brasil é coisa para quem não tem time salvar o ano ou se livrar de jejum. Para quem tem time a ambição deve ser maior, e copinha do brasil não pode ser mais que um “brinde”.

    Secação complicada, o Grêmio é favorito nos dois jogos contra o Atlético-PR, este sim um time que deve priorizar a copinha do brasil, porque não ten nenhuma chance no Brasileirão ou na Libertadores.

    • Guasca disse:

      Grau de importância na ordem.
      – LA
      – Brasileirão
      – Copa do Brasil.

      Acho que o Grêmio tem que abdicar de uma. Da LA nem pensar, óbvio.
      Brasileirão, mesmo acreditando que teu time vai “pras cabeças” tem risco de queda. Então que largue de mão a CB mesmo.

      • Henrique disse:

        Concordo completamente com vocês. Pena que parece-me que somos minoria. Só vejo a gremistada falando “Rei de Copas”. Triste pensar tão pequeno.

  2. INTERminável COLORADO disse:

    Jogo jogado!

  3. Arthur Vanderlei disse:

    Hoje tem jogo de time grande!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s