Inter perde para o Palmeiras, mas mantém boas chances

Um gol contra do zagueiro Ortiz, ao tentar evitar que a bola cruzada por Guerra chegasse a Borja, garantiu a vitória do Palmeiras sobre o Inter por 1 a 0, na noite desta quarta-feira, no Allianz Arena (31.463 torcedores), em São Paulo, no primeiro confronto entre as equipes pelas oitavas de final da Copa do Brasil.

Para seguir na competição, o Inter terá de vencer por dois gols de diferença ou pelo menos igualar a vantagem do Palmeiras e assim decidir tudo nas cobranças da marca do pênalti.

Mesmo com o prestígio de melhor time e grupo de jogadores do futebol brasileiro, favorito na disputa, o Palmeiras tomou precauções especiais para enfrentar o Inter. Tchê Tchê encarregou-se o tempo todo de marcar D’Alessandro, muitas vezes ajudado por Dudu. O Inter fez o mesmo: Antônio Carlos Zago organizou um bom sistema defensivo de marcação e buscou os contra-ataques.

Assim, com cuidados de lado a lado, o jogo foi muito disputado, mas com poucas chances. O Palmeiras teve mais no segundo tempo, no momento em que o Inter buscava empatar, principalmente por Dudu. Foi a vez então de se destacar o jovem goleiro Daniel, com pelo menos duas grandes defesas – uma delas nos pés de Dudu, aos 46 minutos do segundo tempo.

Foi, acima de tudo, um resultado valorizado pelos dois. O Inter perdeu, mas por 1 a 0, mantendo boas chances de reverter. E o Palmeiras por ter garantido a vantagem, como destacou o volante Felipe Melo no fim:

– O Palmeiras ganhou de um grande adversário. O 1 a 0 foi goleada porque o Inter tem grandes jogadores, é muito melhor que muitos times da Série A e vai ganhar a B com um pé nas costas.

Bem organizado, o Inter teve a primeira oportunidade de gol. Em cobrança de escanteio, Borja desviou a bola e acertou a trave. Na volta, Cirino tentou, mas a defesa afastou.

O Inter voltou a ameaçar aos 22, quando Cirino – livre – cabeceou para fora. O Palmeiras só teve sua primeira chance aos 30, com um chute por cima do venezuelano Guerra.

Dois minutos depois, em contra-ataque pela direita, Guerra cruzou rasteiro. Ortiz entrou na corrida, para evitar que Borja concluísse, mas desviou para a rede. Um a zero Palmeiras.

Foi o pior momento do Inter na partida – e por pouco o Palmeiras não ampliou. Aos 42 minutos, Borja avançou, driblou Daniel e, com o gol aberto, chutou para fora.

Na fase final, o Inter buscou o empate, sem deixar de se preocupar com o sistema defensivo. Quando a linha de zagueiros não afastava, Daniel se destacava, como aconteceu aos 23 minutos, quando desviou a bola chutada por Willian. Aos 25, foi a vez de Cirino ter a chance, mas o chute saiu fraco.

Aos 32, o Inter teve sua maior chance em toda a partida: D’Alessandro cruzou da esquerda, Rodrigo Dourado (foto) entrou livre e, de peixinho, cabeceou. Foi a vez de Fernando Prass fazer uma defesa excepcional.

Em um dos últimos lances, quando até Cuesta estava no ataque, Dudu arrancou em velocidade, entrou na área e só não marcou porque Daniel fez uma defesa precisa.

O Inter volta e, no sábado, joga no Beira-Rio contra o ABC, buscando sua segunda vitória consecutiva na Série B.

Anúncios

Sobre mariomarcos

Jornalista, natural de criciúma, fã incondicional de filmes, bons livros e esportes
Esse post foi publicado em Copa do Brasil, Inter e marcado , , , . Guardar link permanente.

11 respostas para Inter perde para o Palmeiras, mas mantém boas chances

  1. Ricardo - DF disse:

    O Inter é touca do Palmeiras. Mesmo com um time zilhões de vezes superior, o porco se atrapalha todo com o saci.

  2. Rubens disse:

    Se o nosso “Pedro Rocha” concluísse melhor, sairíamos na frente do placar e aí, adeus palmeiras!

  3. analista disse:

    Gostei do Inter. Mas sem mais um meia o time fica com muita dificuldade de infiltração contra um time forte defensivamente, ainda mais se for qualificado como o Palmeiras. Basta marcar o Dale e os dois atacantes e acabou-se. E o Dale, bem marcado, sofre demais. Não tem força e explosão suficientes para arrostar uma boa marcação individual.

  4. Miguel disse:

    Não falei de Arthur que confirma oque se fala faz tempo, o Grêmio é uma fábrica de volantes. Joga demais; marca, desarma, passa, lança, tem visão de jogo e ontem ainda fez um golaço.
    Léo Moura não foi tão bem como em outros jogos, errou vários passes.
    Michel aos poucos vai se sentindo à vontade e jogando bem também.​ muito por ter alguém com mais qualidade (Arthur) ao lado.

  5. CAMPEÃO DE TUDO disse:

    Depois quando falo sou o Cornetão de Tudo!
    Temos uma dupla na casa mata que pensa que para tornar um time ofensivo basta empilhar atacantes. Ora, sem meias de ligação e aproximação dos laterais os atacantes vão morrer de fome e pouco poderão fazer! Fica aquele toque-toque de um lado para outro sem a mínima objetividade, completamente improdutivo!

  6. 66 disse:

    A diferença do Edenilson para o Fabinho no meio-campo é muito grande.
    E o gol que o Dourado perdeu de cabeça é imperdível.
    No mais foi um jogo parelho, mas o Inter é muito generoso. Como adora dar o primeiro gol ao adversário. Que saco ter que sair atrás no placar toda hora.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s