Das leituras

“(…) O futebol já não é mais misterioso. Nós deixamos de vivê-lo de acordo com a nossa própria imaginação porque as câmeras estão em todos os lugares. Imagens em uma tela não podem competir com as imagens que você cria em sua cabeça. E isso está impactando a maneira como o jogo é praticado… O jogo se tornou mais intenso do que precisa ser… Um momento de baixa intensidade em um jogo televisionado é visto por alguns como a hora de mudar de canal. Então, o jogo está ficando cada vez mais rápido, porque a televisão exige isso (…)”

(Jorge Valdano, ex-jogador argentino, campeão mundial em 1986, estudioso do futebol, citado no livro A Pirâmide Invertida, de Jonathan Wilson, para explicar como o esporte ganhou velocidade nas últimas décadas, do som ouvido no rádio às imagens da TV)

Anúncios

Sobre mariomarcos

Jornalista, natural de criciúma, fã incondicional de filmes, bons livros e esportes
Esse post foi publicado em Das leituras e marcado , , , . Guardar link permanente.

4 respostas para Das leituras

  1. Guasca disse:

    O futebol era menos intenso.
    Lembro do Celestino narrando: Falcão com a bola (longa pausa) passou para Valdomiro (longa pausa) chutou em gol….que laaaaance….

  2. Ricardo disse:

    Sei não mas, o futebol não está assim por causa da televisão.
    Nos anos 50 a Hungria descobriu o aquecimento antes de entrar em campo.
    Com a cintura dura dos europeus do leste, começou a busca pela melhor preparação física.
    Daí, para a correria intensa e jogadores que parecem lutadores foi um passinho.
    Ninguém quer ficar para trás e então, dê-lhe correria, marcação, sem espaço para jogar, etc.
    Foi uma “evolução” natural.

    • Rafael disse:

      Correto. A evolução principal foi na preparação física. Hoje em dia se trabalha com valências físicas em quantidade e qualidade que há 60, 70 anos nem se cogitava fazê-lo.

  3. Kikomarques disse:

    Tudo no mundo está mais rápido, mas vamos ficar só no esporte, que é nosso tema. Todos os esportes estão mais rápidos. Concordo com o Ricardo e o Rafael. Isso se dá por causa a intensificação da preparação física. O esporte coletivo que eu acho mais evolui em termo de velocidade é o vôlei. Já começando pelo saque. No futebol, mudou o estilo dos jogadores. No passado eram mais técnicos, mais clássicos. Hoje a velocidade vale mais do que a técnica. Gilberto Tim, um dos primeiros preparadores físicos a ter seu trabalho reconhecido, dizia algo mais ou menos assim: “um cabeça de bagre bem preparado fisicamente, pode dar trabalho para uma defesa do que um craque mal preparado”. Quanto a narração do Celestino Valenzuela citada pelo amigo Guasca, era realmente bem assim como ele descreveu. Mas isso não se dava só por causa da velocidade do jogo, que de fato era mais lento, mas também pelo estilo de narração. Tudo mudou no mundo. Na época do Celestino ele apenas se preocupava em identificar o jogador para o público. Não se preocupava em narrar a jogada, visto que, o telespectador estava vendo o jogo. Resumindo, o Jorge Valdano, está equivocado. O jogo lento irrita por que todo mundo quer mais velocidade mesmo. Em tudo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s