Pai de Kempes tem encontro com ídolo argentino

Reportagem especial apresentada pela ESPN é daquelas carregadas de emoção.

A equipe reunião o pai de Kempes, um dos jogadores mortos no acidente do avião da Chapecoense, e o próprio Mário Kempes, o ídolo argentino, melhor jogador da Copa do Mundo de 1998, que teve seu nome adotado por uma família brasileira.

Os dois tiveram uma conversa especial.

Vejam o vídeo:

http://espn.uol.com.br/video/682153_pai-que-perdeu-filho-na-tragedia-da-chape-ganha-camisa-historica-de-idolo-argentino-veja-por-que-e-se-emocione

Anúncios

Sobre mariomarcos

Jornalista, natural de criciúma, fã incondicional de filmes, bons livros e esportes
Esse post foi publicado em Gente e marcado , , , . Guardar link permanente.

20 respostas para Pai de Kempes tem encontro com ídolo argentino

  1. Guasca disse:

    MM, o Mário Kempes não melhor jogador da Copa do Mundo de 1978?

  2. Kiko Marques disse:

    Foi o melhor jogador e goleador do torneio. Copa de 78 foi a segunda que eu assisti por completo, já com entendimento do futebol. Tinha 14 anos de idade. Mas…. teve a questão Argentina X Peru,,,, Brasil campeão moral (que bobagem!!) coisa e tal. . Cláudio Coutinho levou Chicão para Copa e deixou o Falcão de fora. A Holanda era a melhor seleção. Todavia, repetindo oque acontecera em 74 na Alemanha Ocidental, não teve forças para superar o time da casa. A Argentina não deixou escapar a chance. Curiosidade é que em 78, Maradona tinha 17 anos. Portanto, se tivesse disputado a Copa, empataria com Pelé neste item. Campeão do mundo aos 17 anos. Aí sim ninguém aguentaria o Dieguito. Mas César Menotti não o colocou na relação final dos 22 jogadores (na época eram 22 e não 23 como é hoje). Maradona ficou na lista de 50 nomes. Bem, não acompanhei a carreira do Mário Kempes pré e pós Copa de 78, mas na Copa ele foi realmente um monstro: Deixa ver se lembro da seleção Argentina sem recorrer ao googel; Fillol, Olgin, Passarela, Galvan e Tarantini. Ardiles, Galego e Kempes. Houseman, Luque e Ortiz. Acho que era isso. Ortinz havia jogado no Grêmio em 76. E depois da Copa Fillol jogou no Flamengo e Luque no Santos. E Passarela treinou o Corinthians. Parabéns ao Kempes por este gesto. Alguns jogadores de futebol não tem a noção da importância sentimental que eles podem ter na vida de várias pessoas. O Kempes tem esta noção.

    • Fred O Calmo disse:

      Mudando de frasqueira para mala de garupa: bem boa tua sugestão aquela do rico que resolveu ser pobre.

    • Maurício disse:

      Boas lembranças, 78 foi a minha primeira copa. Lembro do Ardilles porque ele era o camisa 1, já que a Argentina usava numeração por ordem alfabética – o Fillol era o 5.
      Fillol que veio com o Flamengo à Baixada em 85 e levou 2 do Xavante (Bira e Júnior Brasília), com Zico, Tita, Mozer e grande elenco. Um jogo inesquecível.

      • Guasca disse:

        Excelentes lembranças, Maurício.

        -Nesse ano ganhei uma Monareta comprada na JH Santos onde ganhei cupons para concorrer a viagens para a copa 78.

        -Foi a copa da bola Tango da Adidas em homenagem a dança mais tradicional do país. Que bola linda.

        -Ganhei uma camisa do Colorado adquirida da Couroesporte onde o escudo e o número era comprado a parte para ser bordado em casa. Fo comprado o número 1 e o 0 onde mandei colar apenas o 1 por causa do Ardiles.

      • Maurício disse:

        Bah, as bolas oficiais de Copa da Adidas dos anos 70 são pra mim as imagens clássicas de bola de futebol. Ainda prefiro a Telstar (70/74), mas a Tango era lindíssima.
        A Monareta era massa, quando começou a febre do bicicross a gurizada cortava o bagageiro pra ficar mais irada kkkkkkkk Nessa época o sonho de consumo eram as Brandani, que tinham até amortecedores traseiros. Bons tempos!

      • Guasca disse:

        É negão, estamos ficando velhos.
        Não lembrava dessa de serrar a carona até vc mencionar.

        Lembra da Tigrão que também tinha amortecedor dianteiro?

        MM, releva por inserir link. Tão pedindo 30k nessas.

        http://produto.mercadolivre.com.br/MLB-714005407-tigro-monark-coleco-_JM

      • Maurício disse:

        Bah, minha prima teve uma Tigrão… Era só um simulacro de amortecedor, as molas eram fixas! kkkkkkk
        Mas o assento era massa, tipo os das Brandani, e junto com o aro menor na frente facilitava as empinadas.

  3. Kiko Marques disse:

    *sem recorrer ao google.

    • almiro disse:

      Bacana as lembranças, tbém sem recorrer ao google, na direita era o Bertoni, Houseman foi em 74 e gente fina tbém o Kempes, sem saber dele sobre pós-78, poucos acho q iam pra Europa, Bertoni foi um e Ortiz creio q rendeu pouco no Grêmio.

  4. Kiko Marques disse:

    Mauricio, eu acho que o Fillol era sete.

  5. Kiko Marques disse:

    Pode ser. A minha memória já não é tão boa. Kkkk.

  6. Kiko Marques disse:

    Só para não deixar passar a hora dá saudade. Eu tive uma Monark Monareta dobrável. Logo logo meu pai mandou soldar. Castigava a “coitadinha” brincando de motocross. (1973) Só no início dos anos 80 surgiria a expressão “bicicrooss”.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s