Grêmio sofre com modelo novo, muda e chega ao empate

O jogo da tarde deste domingo, na Arena, deve ter deixado o técnico Renato ainda com mais dúvidas sobre o esquema tático a ser adotado. Foi uma espécie de confronto entre o modelo antigo, aquele sem um atacante fixo, e o novo, com o centroavante. O anterior, aquele que o Grêmio utiliza desde a metade de 2015, venceu com sobras.

Decepcionada, parte da torcida vaiou o time no fim da partida.

O Grêmio do primeiro tempo teve Lucas Barrios – e mostrou grandes dificuldades para superar o bem organizado Veranópolis, um time que não deu chutões e preferiu manter sempre a bola em passes curtos. Este modelo perdeu por 1 a 0, gol marcado por Gustavo, aos 25 minutos, em falha do jovem goleiro Leo.

O Grêmio do segundo chegou ao empate e criou número suficiente de lances de área para sair com vitória. Não conseguiu sair do empate em 1 a 1, mas jogou com muito mais naturalidade do que aconteceu na fase inicial.

Para completar, o gol do empate foi marcado por um dos jogadores mais simbólicos do modelo tático anterior. E foi um gol de categoria: aos cinco minutos do segundo tempo, Ramiro lançou de seu próprio campo, Luan surgiu no meio da defesa, dominou no peito e, no mesmo movimento, ajeitou a bola para seu lado direito, dificultando a ação do marcador. Com a bola na sua frente, ele esperou a queda do goleiro e tocou leve, com categoria, no canto esquerdo. Um a um.

Mesmo com o gol de empate e a nítida mudança de empenho da equipe, o Grêmio seguia sem criar muitas chances. O time já estava com Lincoln em lugar de Jaílson, outra vez discreto, e aos 18 minutos, Renato decidiu trocar Lucas Barrios por Éverton. Melhor no meio, com dois jogadores abertos pelas laterais e Luan jogando na posição em que se sente mais à vontade, o time passou a pressionar.

Teve boa chance aos 27, em cobrança de falta de Leo Moura (Reinaldo fez excelente defesa), aos 24 com Pedro Rocha (ele chutou por cima, mesmo com o gol absolutamente livre) e aos 27, em outro chute de Luan.

Para tornar a equipe mais ofensiva ainda, Renato tirou um segundo volante (Michel), recuou Ramiro para a função e utilizou o argentino Gaston Fernandez, aos 31 minutos. Melhorou ainda mais, mas insuficiente para superar a boa marcação do Veranópolis.

Com o empate, o Grêmio permanece em terceiro lugar, com 13 pontos, atrás de Novo Hamburgo e Caxias. O Veranópolis segue em quarto.

Anúncios

Sobre mariomarcos

Jornalista, natural de criciúma, fã incondicional de filmes, bons livros e esportes
Esse post foi publicado em Gauchão, Grêmio, Uncategorized e marcado , , , . Guardar link permanente.

8 respostas para Grêmio sofre com modelo novo, muda e chega ao empate

  1. Maurício disse:

    Mais um bicho no bolso dos atletas tricolores.

  2. Ricardo - DF disse:

    Vi um pedacinho do jogo na internet, 2o tempo, quando soube que estava 1×0 pro Veranópolis. O que preocupa é que o Gauchão, repito pela enésima vez, é a **prioridade** do Grêmio. E o time não consegue bater os times do interior, mesmo na arena.

    Claro que tem a questão da mudança de esquema, mas não explica tudo, pois os empates e dificuldades não vem de agora. O time é normalmente lento nas movimentações de ataque, o que dificulta vencer retrancas. E, hoje em dia, times com boa preparação física e dedicação tática na marcação não são fáceis de se vencer.

    Mas algumas coisas poderiam ser melhoradas. Vi Rocha perder mais um gol feito, com mais uma finalização bisonha. Temos um atacante que é hoje titular indiscutível por que marca bem. É medíocre nas finalizações, mas corre e defende muito. Éverton entrou, teve boas bolas pela esquerda mas sempre resolveu mal as jogadas. E, para um time que tem que atacar em casa, é inconpreensível manter essa nulidade ofensiva que é o Marcelo Oliveira.

    O Fernandez pareceu bom jogador, o tal Beto pode ser uma alternativa, Bolaños faz muita falta. O Jailson tá muito fraco, não dá para ficar assim.

  3. Kikomarques disse:

    “Grêmio sofre com modelo novo, muda e chega ao empate”. MM, este título não está correto. Quando o Grêmio empatou, Barrios anida estava em campo.
    O gol do Vechi é esquecido, mas considero mais obra do acaso (Azar) do que falha do Léo. Nem Manuel Neuer pegaria aquela bola, que bateu no chão, mudando de direção a cerca de um metro do goleiro. Não tem como pegar.
    Espero que no próximo jogo o Ramiro já comece no lugar do Jailson.
    E continuando minha contagem, com o gol feito que perdeu hoje aos 24 min do segundo tempo, Pedro Rocha soma três “gols feitos” não feitos em 2017. Com o prejuízo de cinco pontos a menos para o Grêmio na tabela. Três pontos contra o Caxias e dois pontos hoje.

  4. Kikomarques disse:

    Ba!!! Vamos corrigir estes negócio:
    “Barrios AINDA estava em campo”.
    “O gol do Vechi FOI ESQUISITO”

  5. Kikomarques disse:

    BÁ!!! Vamos corrigir ESTE NEGÓCIO KKKK um dia eu aprendo a digitar.:

  6. Andreas Boos disse:

    Mais uma pra série ‘é culpa do inter’: Certeza que o “barro” se contundiu prq apertou a mao do willian e do brenner no ultimo grenal. A contusão é clara que foi culpa do inter.

    kkk

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s