Por que é importante para o Grêmio manter Renato

Lucas Uebel/Divulgação GrêmioA primeira grande contratação do Grêmio para a próxima temporada já está no clube e pronto para seguir com o trabalho.

Renato chegou ao clube em um momento de instabilidade, assumiu o cargo de Roger, teve sabedoria para aproveitar o que havia de melhor no trabalho, fez algumas adaptações (Ramiro, por exemplo, jogador fundamental na reação) e corrigiu os problemas mostrados pela defesa.

Acima de tudo, conquistou o primeiro título importante do time nos últimos 15 anos.

Está no clube, conhece e gosta do ambiente, é respeitado pelos jogadores e idolatrado pelos torcedores.

Por isso, desde o jogo decisivo contra o Atlético-MG, os dirigentes falam em manter o técnico – e já começaram as conversas com o procurador de Renato.

Com ele, não haverá interrupção do trabalho e, certamente, o clube saberá que tipo de reforço precisará buscar para reforçar o grupo de jogadores.

Na próxima temporada, o Grêmio disputa Primeira Liga, Estadual, Brasileirão, Libertadores (que só termina no fim do ano), entre outros.

Ou seja: o trabalho de preparação já começou.

Anúncios

Sobre mariomarcos

Jornalista, natural de criciúma, fã incondicional de filmes, bons livros e esportes
Esse post foi publicado em Grêmio e marcado , , , . Guardar link permanente.

6 respostas para Por que é importante para o Grêmio manter Renato

  1. rodolfo disse:

    Infelizmente o fator Renato tem prazo de validade. Não dá para se enganar com ele. Não faz questão alguma de mudar ou melhorar. As entrevistas pós título demonstraram claramente isso. Foi essencial ao título? Sem dúvida. Injetou o que faltava na excelente mecânica de jogo criada pelo Roger. Contudo, esse legado depende de treinamento e conhecimento. Como o passar dos meses, sem os treinos e ensinamentos do antigo comandante, esse trunfo irá se esvair e ficaremos apenas com o poder motivacional do Renato. E isso, isoladamente, não levará o Grêmio a lugar algum.

  2. Diego disse:

    O Rei de Copas vai em busca da próxima: Copa Bridgestone Libertadores 2017.
    Vamooooooooooo!!!!!

  3. Ricardo - DF disse:

    Apesar do título e euforia pela quebra do jejum de 15 anos, a perspectiva de 2017 preocupa um pouco. O título não pode mascarar as sérias deficiências do Grêmio.

    O sucesso deste final de 2016 deveu-se a uma feliz conjunção de fatores. A combinação dos trabalhos do Roger e Renato resultou num time sólido defensivamente e envolvente no toque de bola. Renato pode contar com Geromel e Kannemann nos momentos cruciais, o que não ocorreu no início do ano. Teve o mérito de abandonar a marcação por zona nos escanteios, uma insistência de Roger que nos custou caro no primeiro semestre. Quantos gols levamos em bolas altas… Uma das incógnitas é o próprio Renato. Temos que lembrar que tem ainda o Espinosa junto, mas a tendência, como discutido acima, é o time não evoluir.

    Tivemos ainda aquele fator “sorte” que acompanha os campeões. O ataque gremista, de aproveitamento pífio, na hora H surpreendeu e jogadores irregulares como P. Rocha e Éverton foram decisivos. Foram 3 gols contra o Palmeiras, 2 contra o Cruzeiro e 4 contra o Atlético, média de 1,5 gols por jogo, bem melhor que a média do brasileirão. 5 desses 9 gols feitos por esses dois jogadores.

    E em 2017 ? Melhorar o quê, num time campeão ? Esse é um dos perigos. Douglas vai continuar o mesmo ? E o elenco ? O Grêmio titular é uma coisa, o time misto já é bem inferior. A espinha dorsal do time: Grohe, Geromel e Kannemann, Walace e Maicon, Douglas e Luan tem que ser mantida, e tem que ter boas alternativas de reposição. A zaga é o que mais preocupa. Dá arrepios quando vemos Fred na zaga. Thierry já parece um zagueiro promissor, mas é ainda bem novo. No meio é outro problema. Walace e Maicon estão muito acima dos outros. E Maicon é um jogador com frequentes problemas físicos. Não temos reposição satisfatória para eles.

    Já sabemos que o Grêmio vai atrás de um fazedor de gols, que fez muita falta em 2016. Mas precisa alguém para o lugar de Douglas, se a pancita começar a pesar muito. Alternativas para as laterais. Marcelo Oliveira é um guerreiro, esforçado e tal, mas não tem bola para ser titular de um time que quer ser campeão da América de novo. Infelizmente o Emanuel Mas, do San Lorenzo, foi para a seleção e deve ter se valorizado muito, ficando inviável trazê-lo. Iamos ter um baita lateral esquerdo. Ramiro quebrou o galho e foi muito bem, mas é bem inferior ao Giuliano, que executava a mesma função com mais qualidade. É outra posição que precisa ser pensada, pois não temos reserva para Ramiro.

    Enfim, muitos desafios para 2017.

    Mas que esse título foi bão, ah isso foi!!!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s