Duke, em cheio

Do chargista Duke, do jornal O Tempo:

Reprodução /Dukechargista.com.br

 

Anúncios

Sobre mariomarcos

Jornalista, natural de criciúma, fã incondicional de filmes, bons livros e esportes
Esse post foi publicado em imprensa e marcado , , , . Guardar link permanente.

16 respostas para Duke, em cheio

  1. Maurício disse:

    Em cheio.

  2. Ricardo disse:

    Alguém aí desenhe pra entender:
    Como ele se mantinha na classe C ?
    Seria pela depressão da economia ou pela esmola “ad infinitum” do bolsa alguma coisa?

  3. Ricardo disse:

    errata: seria pela boa condição da economia que vigorava antes, (segundo a Dilma) ou porque recebia a esmola sem fim do bolsa alguma coisa?

  4. Ronaldo disse:

    Ele já tinha voltado desde 2014.

  5. Papa Charlie disse:

    Deixem nosso Presidento trabalhar! Ela tirará a tigrada da rua, podem esperar.

  6. Marcelo - Rio de Janeiro disse:

    Aqui no Rio, a quantidade de moradores de rua aumentou drasticamente nos últimos dois meses. Com a chegada do calor, a tendência é aumentar mais. A charge retrata muito bem a situação.

  7. Rafael disse:

    A charge retrata bem o que ocorre quando um governo adere ao mais demagógico e corrupto populismo, que prefere atirar migalhas para comprar votos do que verdadeiramente fomentar o desenvolvimento. Levaremos ao menos uma década para corrigir os desmandos da quadrilha que comandou o país nos últimos 13 anos.

    • Miguel disse:

      Tens certeza que não houve desenvolvimento?
      Olha o pib de 80 a 2002, 2002 a 2014. Olha quanto aumentou o poder de compra do salário mínimo, a produção agrícola. Compara a taxa de desemprego 2002/2014.
      Agora essa corja que assumiu fica por 20 a 30 anos arrochando salário, aumentando o desemprego, depois outra corrente assume, melhora salários,aumenta empregos e de novo, como sempre, os que nada fizeram irão dizer que foram eles que ajeitaram a economia para que isso pudesse acontecer, mas quando estavam lá nada fizeram.

      • edi tavares disse:

        em cheio, Miguel!

      • Marcelo - Rio de Janeiro disse:

        Em cheio, Miguel! (3)

      • Rafael disse:

        Não confunda crescimento com desenvolvimento. Desenvolvimento não houve. O que houve foram melhoras pontuais de alguns indicadores, mas não de forma sustentada. O aumento do PIB se deu fundamentalmente pelo aumento pronunciado dos preços das commodities, que catapultaram nossas exportações e a entrada de divisas. Mas quando a festa acabou, com a queda abrupta desses preços, voltamos aos patamares anteriores, demonstrando que os resultados tinham pouco a ver com as políticas governamentais. No mesmo período tivemos uma pronunciada desindustrialização, que é a raiz da estagnação econômica e alto desemprego que vivenciamos atualmente.
        Não se desenvolve um país com base unicamente em políticas assistencialistas. Elas são essencialmente acessórias, para amparar pessoas que por um motivo ou outro não têm condições de inclusão no mercado de trabalho. Da forma como foram conduzidas, resultaram num populismo eleitoreiro.
        O desenvolvimento de um país passa necessariamente pelo crescimento econômico em várias frentes, com a geração de empregos de qualidade e aumento da produtividade, o que gerará melhores salários e aumento do consumo, estimulando novos investimentos e a retroalimentação de todo o ciclo.

    • mariomarcos disse:

      Programas para os pobres sempre é considerado populismo. Se for, sou totalmente a favor.

  8. Maurício disse:

    Depois de ler determinadas reações, repito grifando: EM CHEIO.

  9. Ronaldo disse:

    Pois é, em 4 meses a culpa da situação econômica agora é do novo governo, vão ser alienados assim lá nos quintos da China.

  10. Ricardo - DF disse:

    Em cheio !!!

    Mas não é só isso. A PEC 241 está aí para garantir aos donos do poder de que não haverá outro Lula por ao menos 20 anos. Aumentar os investimentos sociais será proibido pela constituição. Se tentar mudar de novo a constituição, vai ter que enfrentar a mídia e os midiotas, que repetem “petralhas, petralhas, petralhas…” a exaustão, como um mantra, sem raciocinar.

    A vingança das oligarquias tupiniquins é maquiavélica.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s