A estreia de Renato: ‘Não esperava que fosse tão sofrida’

Lucas Uebel/Divulgação GrêmioRenato Portaluppi chegou no início da semana, fez apenas um treino de uma hora com os jogadores, conversou muito para explicar o que gostaria de ver em campo na decisão contra o Atlético-PR e teve de enfrentar uma estreia sofrida, de muito esforço e poucos acertos, só decidida na cobrança dos pênaltis. No fim, aliviado, brincou no vestiário:

– Não esperava que fosse tão sofrida. Até brinquei com o pessoal: se o próximo jogo for assim, eu volto para o Rio.

Elogiou a recuperação de Marcelo Grohe nos pênaltis, depois de um erro decisivo no início da partida, gostou que os jovens jogadores do time cumpriram as determinações e constatou o velho problema da equipe: a falta de incompetência na hora da conclusão.

Na entrevista, depois do sofrimento todo, falou com tranquilidade sobre algumas questões da partida:

INEXPERIÊNCIA

– A gente sofre muito pela inexperiência do nosso ataque. É que são garotos e é preciso ter paciência. É com eles que vamos até o final, não tem alternativa. Não dá para esperar que eles façam o que jogadores de 27 anos já conseguem. Agora, eu fui atacante. Vou tentar mostrar o que pode ser feito. Mas a resposta será deles.

O HERÓI

– Falei para o Grohe: você errou naquele lance, acontece com qualquer um, mas tem a grande chance de ser o herói do time. E isso aconteceu. Ele garantiu a classificação.

O ERRO

– O Henrique Almeida errou e vai pedir desculpas (o atacante, ao sair de campo, mostrou o indicador para a torcida que o vaiava e, como Renato determinou, deu entrevista no fim reconhecendo o erro, dizendo que nada o justifica e pedindo perdão). Ele será multado, sim, até para aprender, além da conversa que terei com ele depois. É jovem ainda, ficou perturbado por ter ouvido certas coisas e errou. Não justifica o que fez. Mas precisamos dele.

OFENSIVO OU NÃO

– Eu sempre gostei de futebol ofensivo. Quando estive aqui na segunda vez, não tinha alternativas e tive que fazer um esquema fechado. Jogamos feio, mas fomos vice-campeões no país. Não adianta imaginar um esquema se você não tem as peças. Aí você leva três gols por jogo. O que falta hoje é aproveitar as chances criadas. Os garotos jogaram bem e cumpriram o que foi combinado. Faltou a conclusão.

O APOIO

– A torcida apoiou. Disse aos jogadores que eles trariam para o campo o apoio da torcida. Hoje, alguns vaiaram, mas foram poucos. Deram apoio. Quanto mais torcedores nós tivermos no estádio, menos a bola vai queimar. E com menos erros, ele não será vaiado. Por isso, fiz questão que eles fossem agradecer pelo apoio no final.

Anúncios

Sobre mariomarcos

Jornalista, natural de criciúma, fã incondicional de filmes, bons livros e esportes
Esse post foi publicado em Grêmio e marcado , , , . Guardar link permanente.

6 respostas para A estreia de Renato: ‘Não esperava que fosse tão sofrida’

  1. Guasca disse:

    Errou um gol feito e ainda mandou a torcida tomate cru.

  2. Ricardo - DF disse:

    Justamente o que o time não precisa agora é jogador nervosinho e desequilibrado.

  3. Ricardo - DF disse:

    Espero que Renato ensine ao Luan como se chuta com a perna direita, no canto esquerdo do gol, sem que a bola tome efeito e saia. Luan parece que não aprende, pois repete o mesmo chute, com o mesmo resultado.

  4. Pingback: A estreia de Renato: ‘Não esperava que fosse tão sofrida’ « Sul21

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s