O objetivo (e a prioridade) do Brasil

Correta a atitude do técnico Rogério Zimmermann. Pouco antes do jogo contra o Atlético-GO, na noite de terça-feira, um repórter falou da situação excelente do Brasil e falou sobre o entusiasmo da torcida com a possibilidade de o time garantir uma das vagas para a Série A do próximo ano.

– Em primeiro lugar, temos de atingir nosso objetivo – respondeu.

E qual o objetivo? Chegar ao número de pontos que garanta a permanência do time na segunda divisão do Brasileiro, sem riscos.

No momento, apesar da derrota de 1 a 0 (a primeira do Brasil como mandante), o Brasil está em quinto lugar, com 33 pontos. Para afastar de vez qualquer risco, segundo os especialistas em análises de tabelas de classificação, um time precisa somar no mínimo 43 pontos – ou 46, para ficar definitivamente consolidado.

Ou seja: o Brasil precisa somar de 10 a 13 pontos em 17 rodadas (ou 51 pontos) para chegar à prioridade estabelecida, sensatamente, por Rogério. Depois, com mais tranquilidade, o time pode até fazer outros planos. Antes, não.

 

Anúncios

Sobre mariomarcos

Jornalista, natural de criciúma, fã incondicional de filmes, bons livros e esportes
Esse post foi publicado em Brasil, Série B e marcado , , , . Guardar link permanente.

2 respostas para O objetivo (e a prioridade) do Brasil

  1. Maurício disse:

    Lembro de alguns chiliques aqui quando sugeri em 2015 que o Inter poderia tirar algum proveito de uma eventual ausência na Libertadores (como desfazer-se de alguns encostos e diminuir a folha). Isso voltou a acontecer quando declarei pensar que o Xavante não devia se preocupar em ascender à série A tão rapidamente, e sim trabalhar sério pra voltar a criar casca pra campeonatos em nível nacional (terminar a reforma do estádio pra não correr risco de ter de jogar fora da Baixada, tentar angariar mais sócios e patrocinadores, etc).

    Ora, qual time emergente que se preza não gostaria de disputar sempre o melhor campeonato e receber os melhores clubes do país? Se pintar, beleza! Mas, por outro lado, qual é o real valor de ser um saco-de-pancadas por uma temporada e voltar com um rebaixamento na cacunda e a moral lá embaixo? O Joinville (hoje no Z4 da B) que o diga.
    O segredo desse equilíbrio me parece ser ter a devida noção do próprio tamanho e entender o que é mais importante para o momento do clube, pra não dar passo maior que a perna. Felizmente, tanto a diretoria quanto o Zimmermann parecem cientes disso.

  2. Saci Xavante disse:

    O Brasil está em 5º, não em 6º. Nem perderá essa posição até o final da rodada, pois o próximo, Londrina, já jogou – e perdeu, em casa – e o Criciúma, sétimo, pode ir no máximo a 32 pts.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s