Inter: Diego ocupa a vaga que deverá ser de Camilo

A provável escalação do Inter para o jogo deste sábado, contra o Vila Nova, no Serra Dourada (de portões fechados como punição ao clube goiano), tem jeito de ser uma antecipação do que Guto Ferreira pretende fazer quando Camilo estiver liberado.

Sem Edenílson, suspenso, e sem o atacante Carlos, com indisposição, Guto escalou no último treino, antes da viagem da tarde de sábado a Goiás, um time com um volante posicionado (Rodrigo Dourado), um segundo mais liberado (Felipe Gutiérrez) e o meia D’Alessandro. Na frente, os atacantes Nico López, Pottker e Diego – este, certamente, no lugar que deve ser destinado a Camilo.

O reforço trazido do Botafogo ocuparia um dos lugares da linha de três meias, quando o esquema for o 4-2-3-1, ou fecharia o meio-campo pela esquerda ou direita, deixando D’Alessandro mais livre na criação.

O Inter terá mais um aperto no calendário. Joga neste sábado, em Goiânia, e na próxima terça-feira, já estará em campo de novo para enfrentar o Oeste no Beira-Rio.

Publicado em Inter | Marcado com , , , , | 2 Comentários

Da série ‘Perguntar não ofende’

Pelo que tem jogado na atual temporada, bem classificado nas três grandes competições do ano (Libertadores, Brasileirão e Copa do Brasil), qual dos títulos o Grêmio tem mais chances de conquistar? Ou o time deve investir fortemente nos três, já que segue como um dos favoritos nas competições?

Publicado em Brasileirão, Grêmio | Marcado com , , , , | 9 Comentários

Zimmermann deixa o Brasil depois de cinco anos

Rogério Zimmermann se encaminhava para o sexto ano no cargo de técnico do Brasil, mas não resistiu aos resultados ruins na Série B. Na tarde desta quinta-feira, o clube anunciou a saída do técnico, que foi responsável por trazer o time da segunda divisão gaúcha para a segunda do Brasileiro, em avanços sucessivos.

Era o segundo técnico há mais tempo em um time. Perdia apenas para Cláudio Tencati, do Londrina, que já fechou seis anos e vai para o sétimo.

Na última rodada, o Brasil sofreu outra goleada, ao perder por 4 a 1 para o Paraná.

Como o time não reagia mais com a força mostrada no ano passado (em 15 rodadas, em 2016, o Brasil estava em oitavo lugar, com 23 pontos) e os desgastes se acumulavam, os dirigentes decidiram partir para o acordo e abrir mão de Rogério.

No momento, o time está com apenas 17 pontos ganhos, apenas um à frente da zona do rebaixamento, com apenas 33% de aproveitamento no ano, cinco derrotas na Série B, 17 gols marcados e 26 sofridos.

O clube estuda alguns nomes. Estão na lista Julinho Camargo, Beto Campos (hoje no Náutico), Antônio Carlos Zago e Clemer.

Publicado em Brasil | Marcado com , , , | 3 Comentários

Uma rápida viagem aos anos da adolescência

Sabem aqueles passeios irresistíveis em busca de lugares marcados pelas lembranças da infância/adolescência?

Fiz isso dias atrás, em meio a uma rápida viagem a Criciúma.

Decidi conferir como estava o Estádio Euvaldo Lodi, local de jogos e vitórias do Metropol, no antigo distrito de Rio Maina (hoje cidade), a sete quilômetros do centro de Criciúma.

O clube funcionou como empresa  nos tempos em que nem se imaginava isso no futebol do país. Durou tanto quanto o dinheiro e a boa vontade dos donos – pouco mais de 10 anos.

O estádio segue lá, duramente marcado pelo tempo e o semiabandono. Só é utilizado para jogos de ex-atletas ou de amadores. Os alambrados estāo enferrujados, o pavilhāo social – onde ficava um grande distintivo do clube (hoje registrado em um monumento em forma de bola na frente do estádio) – perdeu a cobertura, o morro no fundo está menor  e sem as árvores (era lá que me acomodava para torcer), até o nome foi mudado. Agora é Joāo Estevāo de Souza.

O gramado, o velho vestiário e seu inovador túnel (uma novidade naqueles anos 50/60 do futebol catarinense) ainda resistem bem, cuidados com zelo pelo filho do ex-jogador Sabiá, ele também com passado de jogador de campo e de futsal. O estádio, que parecia imenso nos tempos de criança, agora tem a dimensāo exata. É pequeno, como sempre foi.

Foi lá que vivi meu curto, mas intenso, período de torcedor (quando nāo era ao vivo, era pelas transmissōes da Rádio Eldorado), dos dez aos 20 anos, cinco deles já estudando longe de casa. Pegava um ônibus, vencia os sete quilômetros de um percurso nada fácil, em estrada sem asfalto, e assistia aos jogos do Metropol, o primeiro time verdadeiramente profissional de Santa Catarina.

Muitas das dúvidas daquela fase da vida terminavam ou ficaram suspensas quando entrava por aqueles portōes e me acomodava no lugar preferido.

A visita me fez viajar para um tempo curto e inesquecível.

 

 

 

 

 

Publicado em Futebol, Gente | Marcado com , , , | 3 Comentários

Camilo, na chegada ao Inter: ‘É o momento de ser feliz’

Ele esteve no RS Futebol, o time de Carpegiani em Alvorada, destacou-se pela Chapecoense, foi ignorado pela dupla Gre-Nal, apesar de todas as recomendações, contratado pelo Botafogo e nesta quinta-feira será apresentado oficialmente como reforço do Inter para a sofrida campanha da Série B.

Camilo, meia de forte atuação ofensiva, bom batedor de faltas, chegou na terça-feira a Porto Alegre, cheio de planos. Fez exames, garante que está em forma física e pronto para jogar, caso seu nome apareça no Boletim Informativo Diário da CBF e seja uma das opções do técnico Guto Ferreira.

Aos 31 anos, ele fez parte de um troca-troca entre Inter e Botafogo, que recebeu o centroavante Brenner. Cada clube garante uma parcela dos direitos federativos dos jogadores.

– Conheço a cidade, a paixão do torcedor – disse Camilo em entrevista ao site G-1. – Será um sonho realizado. Quero agarrar a oportunidade. É o momento de buscar novos ares e ser feliz. A gente sabe o que representa a camisa do Inter. Estou feliz com a oportunidade e quero agarrar de todos as maneiras. Quero que o Inter consiga os objetivos.

Perguntas ao torcedor:

– Camilo pode jogar ao lado do D’Alessandro?

– Ou os dois ocupam a mesma faixa de campo?

– É um bom reforço para o Inter?

A PROPÓSITO

Além de Camilo, o Inter chegou a um acerto na quarta-feira para ter o centroavante Leandro Damião por empréstimo durante um ano.

O clube buscava um novo atacante, chegou a conversar com representantes de Grafite, mas o objetivo era mesmo Damião, que surgiu no próprio clube e teve um início excelente, chegando à Seleção Brasileira.

Não confirmou em outros times e agora volta ao início.

Publicado em Inter, Série B | Marcado com , , , , | 30 Comentários

Grêmio fica mais perto do líder. Diferença cai para seis pontos

Em apenas duas rodadas, a diferença de pontos entre o líder Corinthians e o Grêmio baixou de dez para seis pontos. No último domingo, enquanto o time gaúcho vencia a Ponte Preta, os paulistas apenas empatava com o Atlético-PR. Nesta quarta, mais um tropeço: o Grêmio ganhou do Vitória em Salvador, o Corinthians voltou a perder pontos ao empatar com o Avaí, um dos lanternas.

A previsão de Renato, de que o líder tropeçaria em algum momento, já que fazia uma campanha absolutamente fora da curva, começa a se confirmar antes mesmo do fim do primeiro turno.

Mudou muito.

No próximo domingo, esta disputa entre os dois times pela liderança terá outro momento daqueles.

O Corinthians enfrenta o Fluminense, no Rio, e o Grêmio encara o São Paulo no Morumbi.

Os resultados vão indicar como as equipes começarão a próxima semana.

Renato deve contar com Luan, ainda não sabe se poderá escalar Pedro Geromel (ele disse ter sentido a perna pesada no aquecimento antes do jogo em Salvador) e não terá Lucas Barrios, que levou o terceiro cartão amarelo em Salvador.

Publicado em Brasileirão, Grêmio | Marcado com , , , | 1 Comentário

Paulo Sant’Ana (15/6/1939 – 19/7/2017)

Aos 78 anos, morreu na noite desta quarta-feira, o jornalista, torcedor apaixonado do Grêmio, escritor e colunista Francisco Paulo Sant’Ana. Ele sofreu uma parada cardíaca em nova internação no Hospital Moinhos de Vento.

Sant’Ana estava afastado da Rádio Gaúcha e da empresa desde 2014, quando seus problemas de saúde se agravaram. Nunca mais se recuperou inteiramente.

Conheci Sant’Ana nos corredores do velho Estádio Olímpico. Eu era estagiário da Folha da Tarde, fazia o setor do Grêmio e nunca esqueci daquela figura com fones nos ouvidos e cigarro na mão, encostado à parede do corredor que levava aos vestiários.

Depois, fomos companheiros na Zero Hora. Era um parceirão, daqueles que vivia passando de mesa em mesa, ou lendo a coluna que estava escrevendo ou parando apenas para bater um longo papo.

Era daqueles sujeitos por vezes controverso, polêmico, mas sempre talentoso. Inovou na sua forma de participar de programas de rádio e se consolidou como colunista de jornal. Escreveu sua coluna de ZH durante 40 anos e se orgulhava, especialmente, de nunca ter falhado um único dia – nem mesmo em boa parte das férias.

Virou personagem da história da imprensa gaúcha, daqueles que nunca mais será esquecido.

 

Publicado em Gente | Marcado com , , , | 17 Comentários