Da série ‘Perguntar não ofende’

Já que poupar alguns titulares parece inevitável, como admitem o técnico Renato e sua comissão técnica, o Grêmio deve poupar jogadores na partida desta quinta-feira, contra o Zamora, pela Libertadores, deixar para utilizar time misto na partida do próximo domingo, contra o Sport, no Recife, pelo Brasileirão, ou seguir com a equipe principal, sem mudanças, por mais algum tempo?

Publicado em Grêmio | Marcado com , , , | 3 Comentários

Danilo, de volta: ‘Foi o jogo mais difícil da minha vida’

O maior drama do Inter nestes primeiros meses – a lesão de todos os goleiros inscritos para o Gauchão – chega ao fim esta semana. O titular Danilo Fernandes e seu reserva Marcelo Lomba voltaram aos treinos normais, no ritmo de trabalho de todos os outros jogadores e estão liberados. Danilo será o titular contra o Paysandu no sábado.

Na entrevista coletiva da terça-feira, Danilo falou com alívio na recuperação, mas acima de tudo falou no momento mais difícil de sua carreira – aquele que, sem condições físicas e ainda em recuperação da cirurgia no pé teve de entrar em campo para enfrentar o Novo Hamburgo na decisão do campeonato.

– Eu estava parado há um mês. É complicado ir para um jogo de alto nível. Fiz uma proteção, tomei remédio, mas no segundo tempo o pé estava latejando. Você pensa duas ou três vezes, chega um pouco atrasado. Eu lembrava do meu pé toda hora. Era o Marcelo ou eu. Fizemos um trabalho muito forte durante aquela semana. Nós fizemos treinos com bola, na academia, em um espaço reservado. Tudo para tirar o impacto do meu pé, em uma superfície mais macia. Foi uma semana tensa. Para dormir, era complicado. Sonhava quase toda a noite em defender, chutar a bola. O próprio Lomba falava que estava apreensivo. Foi o jogo mais difícil da minha vida. Disse para minha esposa. Foi de concentração extrema, saí muito desgastado. Não foi o resultado que queríamos. Nos pênaltis, senti bastante. Passou. Contaremos a história.

A PROPÓSITO

Antônio Carlos volta a contar com seus goleiros, mas é provável que fique sem o lateral titular William, que levou pancada no joelho no treino da manhã de terça e pode ficar fora da viagem a Belém.

Danilo Silva, zagueiro e lateral, é uma das opções. A outra é deslocar Edenílson, que já foi lateral nos tempos de Caxias e Corinthians, para a posição de William.

Publicado em Inter | Marcado com , , , , | 26 Comentários

Deu tudo errado

Ao ver uma senhora atravessar a rua, com extrema dificuldade, o motorista parou seu carro e foi até ela ajudar. Deu tudo errado.

Vejam o que aconteceu:

Publicado em Vídeos para o dia | Marcado com , , , | 1 Comentário

O campeão volta a ter arquibancadas vazias

Das 765 pessoas que assistiram à estreia do campeão gaúcho Novo Hamburgo na Série D (derrota de 1 a 0 para o São Bernardo, no Vale), apenas 185 compraram ingressos. Os demais eram sócios, convidados ou portadores de convites.

Apesar das renovadas queixas dos dirigentes, que reclamam do pouco interesse da população da cidade pelo time, desta vez a responsabilidade não é só da torcida.

Do grupo campeão gaúcho há poucos dias, apenas um jogador segue no clube – o meia Preto, que mora na cidade. Todos os demais foram dispensados ou negociados.

Ou seja: o time campeão teve curta duração.

Se o apoio já era pequeno antes, como esperar que ele melhore agora?

A consolidação de um time assim é um processo demorado, é preciso passar a ideia de que a força do clube vai continuar, mas a história foi curta demais.

 

Publicado em Futebol | Marcado com , , , | 3 Comentários

Ruídos no Império

Estamos de volta à Idade de Pedra. O presidente quer voltar ao carvão: isto é recuar. Depois vai querer voltar aos cavalos e às carruagens. Até agora não fez nada desde que se tornou presidente. Nada. Temos que seguir adiante. Não podemos esperar Washington. As pessoas têm que levantar e dizer que devemos proteger o que temos para não sofrer a mudança climática e ter sete milhões de pessoas morrendo a cada ano por causa da poluição“.

(Arnold Schwazenegger, ator, ex-governador da Califórnia, republicano como Donald Trump, ao criticar o início de gestão do presidente norte-americano, durante o Festival de Cannes. Atenção: a crítica não é da esquerda, é de alguém da turma de Trump)

Publicado em frases | Marcado com , , , | 17 Comentários

Inter: por que a ideia de Zago não teve sucesso?

Certa vez, em meio a um debate, perguntaram ao ex-lateral Júnior, que teve boa passagem pelo futebol italiano, por que o jogador argentino tinha mais facilidade para se adaptar ao padrão dos times europeus do que o brasileiro.

– Porque os brasileiros têm dificuldade para cumprir função tática – resumiu Júnior. – Em dez minutos de jogo, ele já esqueceu o que foi combinado no vestiário. O argentino, não, ele vai até o fim.

Torcedores que foram ao Beira-Rio no sábado ou que assistiram ao confronto com o ABC pela televisão tiveram uma demonstração prática do que isso significa.

Antônio Carlos Zago escalou três atacantes, motivado pela estreia de Pottker, e a exemplo da própria torcida, esperava ver o time chegar a uma vitória tranquila.

O Inter teve bem mais chances de gol, é verdade, abusou de perder chances, mas desde os primeiros minutos da partida ficou evidente que alguma coisa não funcionava no meio-campo. Com poucos jogadores no meio, o time simplificava muitas vezes, abusando dos cruzamentos, porque faltava organização.

A decepção foi tão que no fim a torcida protestou, vaiou e pediu a demissão do técnico. Não perdoou o fato de ele não ter percebido os problemas a tempo.

E por que deu errado? Porque na maior parte do tempo os atacantes não conseguiam fazer a chamada recomposição.

Há vários casos bem-sucedidos de times que jogam com três atacantes no futebol mundial, sem prejuízos para o trabalho de meio-campo, sem fragilização do sistema defensivo e sem que os ataques fiquem prejudicados. É a tal da consciência tática – ou cultura tática, como definiu Falcão anos atrás.

Por isso, é praticamente certo que Zago vai desistir da ideia já no jogo de sábado, contra o Paysandu. Ele sabe que não pode arriscar no campeonato mais importante do Inter na temporada.

Publicado em Inter | Marcado com , , , , | 15 Comentários

Renato e o ponto de equilíbrio do Grêmio

O grande mérito de Renato foi perceber, rapidamente, por que o futebol do Grêmio sofreu uma queda no final do Gauchão. Viu o problema e encontrou a solução – e hoje, o time volta a ser destaque com três vitórias importantes em sequência (Fluminense pela Copa do Brasil, Botafogo e Atlético-PR pelo Brasileirão).

O que Renato (além de torcedores e analistas) percebeu?

A mudança de função do múltiplo Ramiro, ao deixar o lado direito da linha de meio-campo e ocupar uma das posições de volante, prejudicou seriamente a movimentação do time e a intensidade da troca de passes. Ficou um vazio pelo lado direito, abalou o futebol de Luan e deixou o time sem a força de antes.

O que Renato fez?

Fez Ramiro voltar a seu lugar preferido e convenceu-se a escalar a jovem revelação Arthur em uma das funções do meio-campo. Pronto, o ritmo voltou a ser intenso, o meio melhorou e o time passou a ser jogadas fortes pela direita. Os dois gols da vitória sobre o Atlético-PR saíram assim: no primeiro, um toque de Ramiro, por trás da linha defensiva, para o meio da área, e no segundo, cruzamento do jogador para a conclusão de Barrios.

Ramiro é a grande contribuição de Renato para o Grêmio. É um jogador que preenche o espaço pela direita e, como tem uma capacidade física superior, ajuda na defesa, preenche espaços no meio e por vezes funciona como um atacante terminal.

 

 

Publicado em Grêmio | Marcado com , , , | 6 Comentários